1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Halitose: Nove dicas para combater o mau hálito

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

 Associação Brasileira de Halitose alerta sobre as causas da halitose e indicam meios para combatê-la

 

No Dia Mundial do Dentista, datado em 3 de outubro, a Associação Brasileira de Halitose (ABHA) alerta que o mau hálito representa um dos problemas de saúde bucal mais comuns no mundo.  A halitose atinge 60 milhões de brasileiros, o que representa 30% da população do país, segundo dados da Associação Brasileira de Halitose (ABHA).

 

Sabe-se que existem aproximadamente 60 causas diferentes e, por este motivo, o mau hálito tem característica multifatorial, em mais de 90% dos casos sua origem se dá na cavidade bucal, acompanhada ou não de alterações sistêmicas. Para a vice-presidente da ABHA, Maria Cecília Aguiar, é importante alertar a população e que com  algumas dicas e cuidados podem evitar o mau hálito.

 

?Essas são dicas básicas, porém, quando os métodos de higiene bucal  e os procedimentos odontológicos de rotina não forem capazes de controlar o problema de forma satisfatória,  é  fundamental procurar ajuda especializada. Apenas com um diagnóstico correto é possível instituir um tratamento adequado?, ressalta a dentista.

 

Dicas:

 

1)  Higiene bucal adequada com escovação e uso do fio dental, no mínimo três vezes ao dia

 

2)  Uma dieta equilibrada com refeições a cada  três horas; 

 

3) Mastigue bem os alimentos de maneira calma, pois, favorece a salivação e a autolimpeza da boca;

 

4) Consumo adequado de líquidos, conforme necessidades individuais, ou seja, tipo de atividade física e o peso da pessoa.

 

5)  Evitar consumo de bebidas alcoólicas e ricas em cafeína;

 

6)  Evitar fumo;

 

7) Manter a saúde geral em dia com exercícios físicos

 

8) Usar medicamentos apenas sob prescrição médica e odontológica,  evitando a automedicação.

 

9) Visitar o cirurgião-dentista regularmente,  a cada seis meses ou até mesmo antes,  dependendo do caso,  para exame da boca e para os tratamentos necessários.

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário