1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Mau Hálito: Dicas e Truques para acabar com o mau Hálito

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Mau hálito é um problema de saúde pública no Brasil

 

Associação Brasileira de Halitose alerta sobre as causas da halitose, que deve ser tratadacom dentistas capacitados

 

Com impactona qualidade de vida do indivíduo, a halitose, mais conhecida como mau hálito,atinge 50 milhões de brasileiros, o que representa 30% da população do país,segundo dados da Associação Brasileira de Halitose (ABHA). Esse númeroalarmante representa um problema de saúde pública no Brasil e pode causarproblemas sócio-emocionais, depressão e dificuldade nas relações interpessoais,além de poder estar associada a algum problema de saúde.

Diante destepanorama, o cirurgião-dentista Marcos Moura, presidente da ABHA, explica como lidar com esta condição. ?Apesar de não ser uma doença, a halitose pode indicar que há algo errado no organismo e deve ser identificado por meio de um correto diagnóstico e tratado adequadamente quando o problema torna-secrônico?, relata Moura. 

  

Moura afirmaainda que o mau hálito pode estar associado a aproximadamente mais de 60 tiposde causas distintas, como jejum prolongado, hábitos de alimentação inadequados,alterações no padrão salivar, sinusites, fumo, uso de drogas e ingestão debebidas alcoólicas, entre outros. Entretanto, há um aspecto que precisa serdesmistificado em relação ao mau-hálito. ?É comum relacionar problemas noestômago como o principal responsável pelo hálito alterado. Na verdade, trata-sede uma crença com pouca evidência científica ou clínica?, esclarece opresidente da ABHA.

 

O tratamentoda halitose pode ser multidisciplinar, mas, como cerca de 90% dos casos dehalitose são de origem bucal, o profissional de primeira escolha no diagnosticoe tratamento do mau hálito deve ser um dentista capacitado. A ABHA ministracursos que qualificam esses profissionais e, como a halitose pode serindicativo de várias doenças, caso seja necessário, o dentista capacitadopoderá indicar o paciente a outras especialidades para realizar o tratamento deforma conjunta.

 

 

Confira 8 dicas para combater o mau hálito

 

 

Mau hálito é um dos problemas de saúde bucal mais desagradáveis. Tanto para quem sofre desse mal quanto para quem convive com alguém com o problema. Mas há solução. Confira a seguir oito dicas simples para combatê-lo, segundo o cirurgião dentista Flávio Luposeli, especialista em estética do sorriso:

 

1. Beba água. Além de vários outros benefícios, a água ajuda a evitar o mau hálito já que, em muitos casos, este é causado pela boca estar seca ou com pouca saliva. É por isso, inclusive, que o hálito não costuma estar assim tão "fresco" quando acordamos.

 

2. Escove os dentes. Não se esqueça de escovar os dentes sempre após as refeições e, também, antes de dormir (já que é no período da noite que as bactérias têm mais tempo para agir).

 

3. Não pule o fio dental. O gosto ruim na boca pode vir, muitas vezes, da sujeira acumulada entre os dentes ou do próprio tártaro. Passe fio dental ao menos uma vez ao dia (ou mais, dependendo do que o seu dentista recomendar).

 

4. Escove a língua. Escovou os dentes e passou fio dental? Calma - a higiene bucal não está completa ainda. Para fechar bem, você deve também gentilmente escovar a língua (pode com a escova e pasta de dentes mesmo), para retirar acúmulos de comida que ficam na superfície dela e retirar uma camada de bactérias que pode se concentrar nela.

 

5. Cuide da alimentação. Dietas radicais que cortam carboidratos totalmente tendem a causar mau hálito - reconsidere e tente ao menos comer uma fatiazinha de pão ao dia. Além disso, há certos alimentos como maçã, cenouras e pepino que, quando comidos crus, "raspam" os dentes e funcionam como ajudantes do fio dental.

 

6. A boca não é a única suspeita. Em alguns casos, o problema pode ser mais embaixo, literalmente. O esôfago ou estômago podem ser a causa, em especial em casos de refluxo ou gastrite. Na dúvida, comece o diagnóstico num dentista, mas não descarte uma ida a um clínico geral ou gastroenterologista se as coisas não estiverem melhorando.

 

7. Evite café. O café pode criar uma espécie de "cobertura" na sua língua, o que evita a oxigenação e ajuda na proliferação de bactérias (as maiores culpadas pelo mau hálito). Que tal trocar por chá?

 

8. Masque chiclete (sem açúcar). A ajuda não vem (só) do sabor artificial do chiclete, mas sim do aumento de produção de saliva. Como a boca seca é uma das principais causas do mau hálito, mantê-la úmida ajuda a reduzi-lo na maioria dos casos.

 

O COMBATE AO MAU HÁLITO

 

Drauzio Varella

 

 

Mel Rosemberg, microbiologista canadense que trabalha na Universidade de Tel-Aviv, publicou uma revisão sobre o tema na revista Scientific American.

 

Cerca de 85% a 90% dos casos de halitose se originam na boca, um ecossistema no qual vivem centenas de espécies de bactérias com diferentes necessidades nutricionais. Quando essa flora digere proteínas, podem ser liberadas substâncias que têm mau cheiro. Entre  elas: gás sulfídrico, resultante do metabolismo anaeróbico (cheiro de ovo estragado), escatol (substância também encontrada nas fezes), cadaverina (associada à decomposição de corpos), putrescina (à decomposição de carne) e ácido isovalérico, também presente no suor dos pés. A mistura dos odores dessas substâncias não costuma ser percebida pelos portadores de halitose, mas provoca repulsa nos que se relacionam com eles.

 

Pesquisas recentes de Walter Loesche, na Universidade de Michigan, demonstraram que os microrganismos presentes na língua são diferentes dos da placa dentária. Estudando pessoas saudáveis com halitose, o grupo de Loesche mostrou que a principal região anatômica responsável pela halitose não é a placa dentária, como se pensava, mas a área mais posterior da língua, no fundo da cavidade oral.

 

A explicação é simples: essa região recebe um fluxo diminuído de saliva e contém grande número de pequenas criptas (invaginações), nas quais as bactérias podem esconder-se. Nesse local privilegiado, elas digerem as proteínas de restos alimentares aí retidos e as contidas no muco que goteja imperceptível dos seios da face na direção da faringe (gotejamento pós-nasal). Esse gotejamento persistente é encontrado em cerca de 25% da população urbana, como resultado de alergias, poluentes químicos e processos inflamatórios das mucosas nasais e dos seios da face (sinusites).

 

Outra causa de halitose com origem na boca é a má conservação dos dentes, inflamação das gengivas, restos alimentares entre os dentes e abscessos. De 5% a 10% dos casos são provocados por inflamações das fossas nasais; 3% têm sua origem em processos infecciosos localizados nas amídalas e apenas 1% em outras localizações. Rarissimamente o estômago ou outras partes do aparelho digestivo estão envolvidos na halitose.

 

Como a saliva contém substâncias bactericidas e seu fluxo contínuo se encarrega de “lavar” mecanicamente a cavidade oral, qualquer evento que provoque ressecamento da boca pode ser causa de mau hálito: jejum prolongado, desidratação, respirar pela boca, falar por muito tempo, ar condicionado, estresse e centenas de medicamentos.

 

O cigarro pode provocar halitose porque resseca a boca, piora as condições das gengivas, aumenta o gotejamento pós-nasal e deixa um resíduo que perverte o aroma bucal.

 

Medidas de controle

 

* Com delicadeza, procure escovar a parte de trás da língua. Evite machucá-la, apenas remova a camada de muco. Com a prática, o reflexo de vômito diminui;

 

* Tome um bom café da manhã para “limpar” a cavidade oral e manter um fluxo adequado de saliva;

 

* Mantenha a boca úmida. Tome quantidades razoáveis de líquido. Mascar chiclete (sem açúcar) por alguns minutos pode ajudar;

 

* Soluções comerciais para gargarejo são úteis porque reduzem o número de bactérias presentes na parte posterior da língua, mas seu efeito é de curta duração.;

 

* Lave a boca depois de ingerir alimentos ricos em odor como alho, cebola, café e molhos com curry;

 

* Escove os dentes e passe fio dental para remover restos alimentares, especialmente depois de refeições ricas em proteínas;

 

* Receitas populares como mascar canela, cravo e semente de anis, para “refrescar” o hálito, costumam ser úteis, porque as moléculas contidas nessas plantas têm atividade bactericida.

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário