1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Astrologia: Seu corpo regido pelos astros

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Segundo Marcus Manilius (século I) em seu poema Astronomica, os signos do zodíaco regem as partes do corpo na forma que 

 

segue:

 

Áries -- cabeça

Touro -- pescoço e garganta

Gêmeos -- pulmões, braços e ombros

Câncer -- peito, seios e estômago

Leão -- coração e parte superior das costas

Virgem -- abdômen e aparelho digestivo

Libra -- rins, região lombar e pele.

Escorpião -- genitais

Sagitário -- quadris e coxas

 

 

 

 

A Astrologia (do grego astron, "astros", "estrelas", "corpos celestes", e logos, "palavra", "estudo") é uma ciência1 

 

segundo a qual as posições relativas dos corpos celestes poderiam, hipoteticamente, prover informação sobre a 

 

personalidade, as relações humanas, e outros assuntos mundanos. É, como tal, uma atividade divinatória, quando usada como 

 

oráculo, mas também pode ser usada como ferramenta para definição das personalidades humanas. Jung em seus estudos chamava 

 

a este conceito de sincronicidade. Um praticante de Astrologia é chamado astrólogo.

 

Os registros mais antigos sugerem que a Astrologia surgiu no terceiro milênio AC. Ela teve um importante papel na formação 

 

das culturas, e sua influência é encontrada na Astronomia antiga, nos Vedas, na Bíblia, e em várias disciplinas através da 

 

história. De fato, até a Era Moderna, Astrologia e astronomia eram indistinguíveis. A Astronomia começou a divergir 

 

gradualmente da Astrologia desde o tempo de Ptolomeu, e essa separação culminou no século XVIII com a remoção oficial da 

 

Astrologia do meio universitário. 

 

 

 

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário