1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Pele de Boneca: Cuidados no inverno!

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

A falta de hidratação natural deixa a pele seca e menos resistente às agressões dos fatores ambientais. Isso se deve a alteração no manto hidrolipídico - localizado na região mais superficial da pele, composto por proteínas, substâncias hidrossolúveis e lipídeos - e deixa a pele com uma aparência opaca, áspera, com textura fina e sensível. O ressecamento também contribui para o envelhecimento precoce, aparecimento de vermelhidão e coceira.

E a época que mais ocorre a queixa de pele seca é no período do outono/inverno. O motivo é simples. “No frio, as glândulas sebáceas e sudoríparas ficam menos produtivas, o que causa a falta de lubrificação natural da pele”, explica a Dra. Daniela Schmidt Pimentel (CRM-SP 112.165), médica assistente e colaboradora do Serviço de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro, integrante do corpo clínico do Hospital Sírio Libanês e da Clínica Ephesus, em São Paulo. 

 

No inverno, o clima fica mais seco, os banhos ficam mais quentes e as pessoas bebem menos água. Além do ressecamento, a dermatologista relata também que o frio pode causar reações à pele se ela não receber uma hidratação correta. “A dermatite atópica (manchas ásperas na pele) e as indesejáveis coceiras, também denominadas de prurido, são algumas das reações mais comuns neste período de baixa temperatura”, exemplifica. 

 

Essas alterações dermatológicas geralmente ocorrem porque nos dias mais frios e secos, o corpo perde umidade para o ambiente e, por isso as áreas mais expostas tendem a ficar mais ressecadas, como pernas, pés, mãos, braços, face e, principalmente a boca. Além disso, o hábito de tomar banhos bem quentes e demorados exerce influência na piora do quadro de ressecamento.

 

Cada pele uma hidratação

 

O processo de hidratação dependerá das características da pele de cada indivíduo, independentemente da idade ou do sexo. “O mais importante é avaliar as necessidades individuais de cada um e os antecedentes pessoais e/ou familiares, como os antecedentes alérgicos, já que as pessoas acometidas de bronquite, rinite e asma tendem a ter a pele mais ressecada ou sensível”.

 

De acordo com a dermatologista Dra. Daniela Schmidt Pimentel, a hidratação deve ser individualizada para cada região do corpo, conforme a necessidade de cada paciente.  Como cada pele tem uma peculiaridade não existe um ativo mais indicado para cada uma, mas sim a base mais adequada. As diferenças ficam por conta dos veículos e da adição de ativos com outra ação que não a hidratação. Por isso, é fundamental conhecer não apenas as especificidades de cada tipo de pele, mas também os processos de hidratação, para deixar a pele bonita e saudável, mesmo nos dias mais frios.

 

“O número de vezes que o hidratante será usado dependerá da indicação. Caso o paciente possua uma pele extremamente ressecada, como por exemplo quem sofre com dermatites atópica, a orientação é que a hidratação seja realiza de duas a três vezes ao dia”, orienta a especialista.

 

No caso de adolescentes que têm problemas de acne existem hidratantes específicos para peles oleosas e acneicas. A dermatologista ressalta ainda que os sabonetes para acne e alguns produtos utilizados para o tratamento deste problema, como retinóides tópicos e o peróxido de benzoila podem ressecar a pele, e na época do inverno isso pode ser ainda mais evidente. “Para estes pacientes é importante ter um hidratante prescrito pelo dermatologista para que possa ser usado durante o tratamento”.

 

Limpeza de pele

 

Não é porque os termômetros baixaram que a limpeza diária do rosto ficará esquecida. Pelo contrário. Ela deve ser ajustada. “Durante o inverno, muitas vezes precisamos ajustar os tratamentos dermatológicos, como por exemplo, passar a usar sabonetes mais suaves ou espumas de limpeza com ação mais hidratante. O uso de esfoliantes deve ser mais restrito e, se o paciente estiver em tratamentos com retinóides, esses produtos que causam descamação leve a moderada devem ser evitados, pois os retinóides promovem uma esfoliação química da pele e, se ambos forem usados simultaneamente, a pele pode ficar muito sensibilizada”, alerta a dermatologista.

 

Não basta limpar a pele corretamente. Para manter o aspecto jovem e saudável é necessário escolher produtos adequados para cada tipo de pele. “Em relação à pele da face, deve-se dar preferência por lavar com água morna para fria, usando sabonetes específicos. Mas, se estiver aplicando produtos que contenham ácidos em sua formulação, esperar 30 minutos após ter lavado o rosto para aplicar este produto; usar hidratantes e/ou filtro solar com princípios ativos que sejam hidratantes, como por exemplo a Vitamina E e o ácido hialurônico”. 

 

Dicas para anotar:

 

Deve e Pode fazer

 

*Banho rápido e morno é saudável e ecologicamente correto, com sabonetes glicerinados e hidratantes, pois são os que menos ressecam a pele

 

*Os esfoliantes de maneira geral podem ser usados, no máximo, uma a duas vezes por mês com grânulos finos. Do contrário, a pele perde o revestimento natural que tem com esse tipo de agressão e torna-se sem brilho e seca, fácil de manchar e se contaminar com vírus, bactérias e fungos

 

*Secar-se com toalhas felpudas, principalmente nas áreas de dobras do corpo (dedos, pés, virilhas e axilas) para evitar qualquer micose oportunista

 

*Aplicar um bom hidratante corporal com produtos à base de ureia, ácido lático, ácido hialurônico, óleos vegetais, vitaminas e antioxidantes

 

 

Não fazer:

 

*Banho muito quente e prolongado

 

*Pessoas de pele muito seca devem evitar o uso de sabonetes nas pernas e braços, usando somente nas áreas intimas e somente a espuma do sabonete no restante da pele

 

*Usar buchas vegetais, esponjas, cremes ou sabonetes de banho com grânulos (com exceção das áreas de pele mais engrossada, como cotovelos, joelhos e pés)

 

*Secar-se com toalhas ásperas, esfregando-se para não remover ainda mais a camada de proteção natural

 

Por Dra. Daniela Schmidt Pimentel - Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro com Residência Médica em Clínica Médica pela Universidade de Santo Amaro e Residência Médica em Dermatologia pela Universidade de Santo Amaro 

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário