1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Copa do Mundo: Como nosso coração reage?

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Até que ponto nosso coração aguenta tanta emoção?

Estudos realizados por pesquisadores do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, que analisaram as últimas quatro Copas do Mundo, através de dados do Sistema Único de Saúde (SUS), de 1998 a 2010, demonstraram que o número de internações por problemas cardiovasculares crescem até 16% em jogos do Brasil. Somente no mês de Copa do Mundo, as internações de pacientes cardíacos crescem 9% nos hospitais brasileiros.

 

Estudos internacionais que analisaram a Copa do Mundo na Alemanha, em 2006, demonstraram que a incidência de infarto agudo do miocárdio e de crises hipertensivas (pico de pressão alta), é 2,7 vezes maior do que em outras épocas. Nos pacientes do sexo masculino, os números aumentam 3,2 vezes até 2 horas depois do jogo. Somente na Copa da Alemanha, em 2006, foram 4.500 infartos.

 

Associam-se o aumento de eventos cardiovasculares (infarto, morte súbita e acidente vascular encefálico) a uma alteração fisiológica causada pela emoção do mundial, com aumento da frequência cardíaca, da pressão arterial, dos níveis de adrenalina, serotonina e cortisol no sangue, substâncias associadas a estresse, podendo levar a alguém com doença cardiovascular prévia ou presente, e ainda não diagnosticada, a ter um infarto ou descompensação cardíaca.

 

Somado a isso, o consumo de bebida alcoólica, o abuso de alimentos condimentados - ricos em sal - e alimentos gordurosos podem colaborar para descompensar os níveis de pressão arterial e de glicemia, aumentando o risco cardiovascular. Somado ao aumento do consumo de cigarros por dia predispondo ao aumento da frequência cardíaca e pressão arterial, podendo levar a algum evento cardíaco, assim como uso de cafeína e energéticos.

 

Para o Dr. Ricardo C. Moraes, cardiologista da Unidade Coronária do Hospital Sírio Libanês e cardiologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, doador de consultas para o Programa Horas da Vida, “os cuidados que as pessoas devem ter serão acompanhamentos cardiológicos frequentes, com exames complementares recentes, atividades físicas regulares e tratamento controlado. Além disso, nos dias de jogos, é recomendado ingerir muito líquido, refeições leves, fazer atividades físicas leves e relaxantes. Caso a pessoa apresente alguma doença cardiovascular prévia e fica muito ansioso ou estressado durante os jogos, recomenda-se evitar assistir os jogos e tentar realizar outra atividade durante a partida, como ir ao cinema ou caminhar ao ar livre”.

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário