1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Bhuta Shuddhi: Prática para sublimar o ciúme

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

O ciúme e a inveja se relacionam com a possessividade. O praticante de Yoga deve ter especial cuidado em evitar a possessividade e outras formas de apego negativo. Em relação ao ciúme no casal, cada um deve achar elementos para sublimar o apego excessivo.

Kriya: kapalabhati.
Asanas: trikonasana, flexão lateral em pé; padahastasana, flexão frontal em pé; paschimottanasana, flexão sentado; vajrolyasana, elevar as pernas e o tronco sentado no chão; bhujangasana, extensão deitado de bruços e shirshasana, inversão sobre a cabeça.
Yoganidra: mentalização para transformar esta emoção em seu oposto: amor desinteressado, desapego e afeição.
Pranayama: antar kumbhaka bandha, e nadi shodhana pranayama, respirações completa e alternada.
Mantra: japa com o bija mantra Ram, do manipura chakra, onde se concentra essa emoção.
Meditação: concentração ou meditação sobre o manipura chakra, no umbigo, um vórtice de energia de cor vermelho-alaranjada rodeado por dez pétalas cinza, dentro das quais refulge um triângulo invertido.
Outros procedimentos:

Fazer a respiração completa e profunda no momento em que a emoção estiver mais intensa, mantendo o controle sobre os impulsos hostis.
Dominar o momento de maior exaltação: se você conseguir conter o primeiro impulso, verá que fica mais fácil expor suas razões de forma objetiva e serena.
Ao mesmo tempo, não deixar de falar a verdade, desde que a palavra não seja usada para ferir ('estou falando pelo seu próprio bem').
Evitar responder à ação. Ao invés disso, tentar responder à pessoa como um todo.
Cultivar a não possessividade (aparigraha), o estudo de si próprio (svadhyaya) e o contentamento (santosha).
Praticar Karma Yoga, realizando ações que não busquem produzir frutos para si mesmo, mas para os demais.

 

Fonte: Pedro Kupfer para Yoga.pro

 

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário