1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Herpes Labial: Cerca de 90% das pessoas têm sem que necessariamente a doença se manifeste

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Ardência, dor e coceira nos lábios são sinais de uma doença infecciosa muito comum, que pode acometer 90% da população: o herpes labial ou herpes simples. Grande parte das pessoas apresentam a infecção latente, ou seja, não necessariamente têm manifestações da doença. Entretanto, o vírus permanece “escondido” e pode aparecer a qualquer momento, resultado de baixa resistência, exposição ao sol ou ao frio extremos e até estresse. Por isso, é possível que ocorra uma única vez na vida ou, mais caracteristicamente, ser uma doença recorrente, com vários surtos ao longo do tempo.

Causado pelo vírus herpes simplex tipo 1, o herpes labial se caracteriza por bolhas nos lábios, que tornam a doença muito contagiosa quando em contato direto, seja com ferimentos de uma pessoa ou por meio de um beijo, ou indireto, pelo uso de talheres, por exemplo.

De acordo com o infectologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Artur Timerman, a doença se divide em diferentes etapas. “No começo, o lábio arde, coça, incha e surgem bolhas doloridas. Um ou dois dias depois, elas rompem e tornam-se uma só ferida com secreção. É nessa hora que o vírus pode ser transmitido com mais facilidade. No último estágio, depois de uns cinco dias, a ferida seca e sara”, diz o infectologista.

Para evitar novos casos de herpes labial, é importante buscar tratamento com especialistas que vão indicar antivirais para acelerar o processo de cicatrização, além de cuidados de higienização local para evitar que a doença se espalhe para outras regiões do rosto e, principalmente, para outras pessoas.

Entre os cuidados sugeridos estão: lavar sempre as mãos após tocar a infecção, não colocar a mão nos olhos, evitar o contato com os lábios de outras pessoas e manter rigorosa higienização da zona do lábio afetada, por meio da aplicação de produtos que garantam uma boa desinfecção local.


Fonte: Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário