1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Apaixonada por outro: Como resolver essa situação

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Você já tem um relacionamento, mas - de repente - se descobre com os batimentos cardíacos acelerados diante de outra pessoa. Seus pensamentos insistem em se voltar para quem, no contexto atual, ocupa o lugar de terceira pessoa.

 

O fato é que estar comprometido e, ainda assim, sentir-se atraído por outra pessoa é mais comum do que se imagina. Sim, porque atração é algo que se sente por instinto, sem que se tenha controle. Ao passo que se comprometer com alguém é algo que se faz por escolha. Portanto, a questão é: o que você quer? O que você realmente quer?

 

Diante de um cenário como este, onde você se vê entre dois amores - ou pelo menos desejando duas pessoas ao mesmo tempo - o mais provável é que sua resposta seja algo como "não sei, estou confuso!". Muito bem! Então, é hora de respirar fundo e ponderar. 

 

Se a pessoa com quem você está comprometido atualmente for realmente importante para você, o melhor é que não tome decisões precipitadas e nem aja motivado apenas pelo desejo. Ele pode te enganar. E pode te conduzir a armadilhas das quais talvez você não consiga sair sem profundos arranhões ou até machucados bastante dolorosos.

 

E se o que começou como uma mera atração passou a ocupar um espaço tão grande na sua vida, é provável que chegue o momento de rever suas escolhas. E agora? O que fazer? Com quem ficar? Qual sentimento preferir e de qual abrir mão?

 

Questões que são mesmo complexas e nada fáceis de serem respondidas, mas que precisam ser consideradas. Lidar com o próprio coração pode ser, muitas vezes, como procurar o fio da meada, desfazer grandes nós e se esforçar para sair de um labirinto.

 

Minha sugestão é que você seja o mais sincero possível. Em primeiro lugar, consigo mesmo. Não tente se enganar e nem mentir para si. Julgamentos de valor também não ajudam muito. Não se trata de certo ou errado. Trata-se de ser digno diante de tudo o que faz parte da sua verdade, da sua vida, do seu mundo.

 

Se perceber que a situação está ficando insustentável, talvez valha uma conversa muito transparente com as pessoas envolvidas. Cada uma em seu tempo. Cada qual em seu contexto. Sempre se responsabilizando por seus sentimentos e suas dúvidas. Sem jamais ser cruel.

 

Todos os sentimentos são válidos e têm grande importância. Sempre podem servir para nos ensinar lições para toda a vida. Fazem-nos amadurecer e enchem nossa história de significados e lembranças. Mas para que sejam construtivos e criativos, precisam ser vividos com ética. 

 

Chegará o dia em que seu coração encontrará a resposta e saberá exatamente o que fazer e com quem ficar. Mas até lá, lembre-se de que nada é mais engrandecedor do que aprender a compor emoção e razão; desejo e lucidez; ontem, hoje e amanhã. Assim, qualquer que seja a sua escolha, haverá nela o seu coração por inteiro.

 

Fonte: Rosana Braga é Palestrante, Jornalista, Consultora em Relacionamentos 

e Autora dos livros "O PODER DA GENTILEZA" e "FAÇA O AMOR VALER A PENA", entre outros.

Email: rosanabraga@rosanabraga.com.br

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário