1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Semana da Criança: Mapa Astral do seu filho

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

O mapa natal é a fotografia do céu no instante em que nascemos. É este mapa que nos acompanha ao longo de toda nossa vida, desde o nascimento até a morte. Isto significa que nosso mapa astrológico nos influencia ou mostra quem somos desde que somos ainda um bebê. Se este mapa é como nosso manual de instruções, que mostra o que temos de potencial a ser desenvolvido e o que temos de desafio a ser superados, quanto antes temos conhecimento e consciência de tudo isso, melhor. Quando estamos falando de um bebê, o conhecer seu mapa astrológico cabe aos seus pais, que podem usar a Astrologia como um recurso a mais na criação de seus filhos.

Um bebê precisa de cuidados especiais e o mapa pode orientar os pais em relação a melhor forma de oferecer estes cuidados, despertando desde cedo as qualidades mais positivas da criança e aprendendo a lidar melhor com os desafios existentes. É possível, inclusive, amenizar pontos de insegurança que a criança pode despertar senão desde cedo, na vida adulta. Muitas vezes isto pode ser feito com simples atitudes dos pais. Quando é feito o mapa de um bebezinho, o foco são seus cuidados iniciais. Os pais podem saber como tende a ser seu sono, se há algum cuidado especial para que a criança durma melhor. Por exemplo, alguns mapas mostram que a criança ficará mais tranqüila se tiver uma luz acesa, ou se precisa de silêncio absoluto para dormir. A amamentação é outra característica que pode ser vista pelo mapa do bebê, o quanto é importante, o quanto pode ter alguma dificuldade relacionada a isso, que atitudes da mãe neste momento podem ser importantes e positivas para a criança. Outro ponto importante a ser observado é a saúde do bebê, se tende a ser forte, frágil, que tipos de problemas pode desenvolver e o que é possível fazer para tentar evitá-los, além das melhores formas de lidar com o assunto. Um exemplo é verificar se a criança tende a ter problemas de saúde com fundo emocional, por medos e às vezes uma mudança de atitude dos pais já melhora isso. Ou, ainda, que tipos de tratamentos são melhores. A criança vai crescendo e outros pontos são fundamentais de serem observados em seu mapa. Um deles é o começar a andar e a falar. No mapa, vemos se a criança tende a ter uma demora nestes pontos, se pode haver alguma dificuldade, se isso acontecerá mais rápido que o comum, etc. O mapa da criança nos mostra do que ela gosta em termos de alimentação, que brincadeiras ela prefere, o que dá mais prazer. Nos mostra, ainda, que tipo de escola é mais indicada, se uma mais conservadora e tradicional ou que tenha métodos mais modernos. Em um mapa, podemos avaliar que tipo de esportes são mais indicados e que a criança tem mais habilidade, escolhendo uma opção melhor para ela desde cedo. Verificamos também se existem talentos artísticos ou outras coisas interessantes a serem desenvolvidas e não bloqueadas desde a infância. É importante avaliar se a criança tem ou não facilidade para as mudanças e como lidar com fases em que precisem mudar de casa, de babá, de rotina. Vemos em um mapa a relação da criança com os pais, como vê cada um deles, o quanto a relação entre pai e mãe interfere em sua vida, em sua construção de valores e em sua segurança e auto confiança e o que os pais, portanto, podem fazer para fortalecer ou minimizar potenciais neste sentido. Por exemplo, se a criança vê harmonia entre os pais, tende a ser mais autoconfiante e segura no futuro e se esta marca já existe no mapa, é possível aos pais potenciá-la. Ao contrário, caso a criança perceba pais em desarmonia, ou que tenham opiniões muito diferentes, tende a desenvolver mais insegurança e eventualmente até problemas de auto estima. Se o mapa já aponta para este caminho, os pais podem minimizar estes efeitos evitando um desdizer o outro, por exemplo. O mapa astrológico de uma criança, ao ser interpretado, leva em conta, por tanto, desde os cuidados básicos iniciais ao seu desenvolvimento, como permite aos pais direcionarem seus filhos para lidarem melhor desde cedo com seus desafios e desenvolverem o quanto antes seus potenciais e qualidades. Outro ponto importante de ser observado pelos pais é a própria gestação, que fica marcada no mapa da criança, se foi tranqüila, se foi desejada, se a mãe passou por alguma dificuldade. Os primeiros meses da criança, que marcam importantes acontecimentos ao longo de toda a sua vida. Assim, fazer o mapa astrológico de uma criança é ter em mãos seu “manual de instruções” que permite aos pais criarem seus filhos de forma mais saudável em todos os sentidos, já que podem, desde cedo, colocar as crianças em contato com suas próprias essências e ajudar no desenvolvimento e manutenção disso, ao invés de colocar apenas suas próprias expectativas e desejos. O resultado é uma família muito mais feliz.

 

 

Fonte: Titi Vidal, astrológa

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário