1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Budismo - o estresse: Como esta religião pode ajudar a combater a doença

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Nós vivemos numa era cheia de estresse. A sociedade humana em todos os lugares está mudando rapidamente e a tendência para mudanças parece estar aumentando. As mudanças e incertezas são sempre uma fonte de estresse. Paralelamente, a sociedade está se tornando extremamente competitiva - e mesmo as crianças sentem necessidade de competir por boas notas na escola. E, a medida que as sociedades se modificam, as relações humanas que são fundamentais para sustentar as pessoas estão se enfraquecendo.

Um psicólogo americano classificou os eventos mais estressantes na vida. Na escala mais alta estava a morte de um cônjuge, seguido de divórcio, separação e prisão. Mesmo situações agradáveis podem ser fontes de estresse - o casamento se situa como o sétimo evento mais estressante, posição situada entre insulto ou doença e perda do emprego.

O estresse também provoca doenças. Alergias, desordens cutâneas, asma, úlceras e câncer são relacionadas ao estresse, mostrando o íntimo laço existente entre o corpo e a mente. O estresse é conhecido como a diminuição da resistência do corpo, tornando-nos vulneráveis a uma série de problemas. Além disso, em certas ocasiões, a resposta do indivíduo ao estresse, como a bebida ou o excesso de comida, podem ser tão nocivos quanto o próprio estresse.

Em geral, certas qualidades positivas para uma pessoa - tal como um senso de responsabilidade ou desejo por perfeição - podem realmente aumentar o estresse que o indivíduo irá enfrentar. Aqueles que estão sempre preocupados com o que os outros pensam sobre a sua pessoa, acabarão criando um enorme e desnecessário estresse em suas próprias vidas.

O que é vital é ser autêntico consigo mesmo, e não sempre se comparar com os outros ao seu redor. Cada um de nós é uma estrela com sua própria história de vida e o melhor caminho para viver é tomar as nossas próprias decisões e seguir nossas próprias convicções. Cada um de nós, deve ser livre para ser si mesmo. As pessoas que não conseguem expressar suas verdadeiras opiniões e sentimentos têm-se mostrado extremamente vulneráveis ao estresse.

A insegurança e ansiedade, ao invés do mero ato de estar ocupado, são o que destroi a saúde física e mental. É dito que uma máquina não quebra devido ao uso contínuo, mas pela constante fricção que eventualmente a faz parar. Assim, a preocupação e o estresse são a 'fricção' da vida humana.

Alguns anos atrás, eu me encontrei com o Dr. Anthony Marsella, da Universidade do Havaí. Ele propôs algumas idéias para se lidar com o estresse dentre os quais se destaca: uma vida diária bem-regulada; pensar de modo positivo e construtivo; não protelar coisas que precisam de sua atenção imediata; ter um tempo para orar, meditar ou auto-refletir; manter uma dieta apropriada; exercitar-se; dormir e manter-se em comunicação com os membros da comunidade local.

Esta última observação me faz lembrar de uma texto que li sobre a cidade de Roseto, localizada no estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos, onde havia um baixo e inusitado nível de doenças coronárias - comumente relacionadas com o estresse. Roseto foi fundada por imigrantes italianos e a maioria da sua população era generosa em suas refeições. A dieta dos seus habitantes consistia de uma grande quantidade de alimentos gordurosos e carne; além disso, muitos eram fumantes. Os pesquisadores tentaram descobrir a razão da população local se manter saudável.

Eles descobriram que a cidade era como uma grande e feliz família, unidas por um espírito de auxílio mútuo e profunda relação interpessoal entre os vizinhos. Havia inúmeras chances para as pessoas se comunicarem e desfrutar da companhia dos amigos. Mas, o tempo passou e o laço de cada indivíduo com a comunidade se enfraqueceu. Como resultado, embora a dieta permanecesse a mesma, o nível de doenças coronárias gradualmente aumentou para a média norte-americana.

Ter um bom amigo, alguém na qual possamos falar sobre tudo, compartilhando todas as nossas alegrias e tristezas com completa confiança e abertura, capacita-nos a obter um equilíbrio interior. O bom humor e o riso são também importantes formas de combater o estresse.

Simples medidas como um sono relaxante, boa alimentação, banho quente ou exercícios leves podem ajudar também. O segredo é utilizar o seu tempo de modo sábio e encontrar maneiras de proporcionar a si mesmo uma mudança de rumo. Nós todos devemos reservar um tempo diário para relaxar, ouvir uma música ou andar despreocupadamente - em suma, qualquer atividade que combine conosco - mesmo que seja por 10 ou 15 minutos.

Quando estamos sofrendo uma situação estressante, é fácil sentir pena de si mesmo, imaginando que não há ninguém mais infeliz do que nós. As pessoas que passam por um profundo estresse e ansiedade geralmente tendem a se isolar e ruminar sobre o seu próprio sofrimento. Um médico disse-me que um dos métodos de tratamento é reunir um grupo de pessoas com tais características e direcioná-los a dispender todas as suas energias em pensamentos e ações que direcionem ao bem estar dos outros. Aparentemente este tipo de terapia tem obtido bons resultados.

De modo semelhante, quando nós rompemos a barreira do isolamento e agimos de modo concreto em prol de outros, podemos encontrar novas fontes de esperança e vitalidade dentro de si.

Assim, mesmo que pareça estranho, simplesmente relaxar e não fazer nada pode não ser necessariamente o melhor caminho para se livrar do estresse. Algumas vezes, achar algo novo e interessante, algo na qual possa direcionar todas as suas energias, possa ser um modo mais efetivo para 'curar' do estresse.

Felizmente, a vida é naturalmente contemplada com a capacidade de converter mesmo o negativo em algo positivo. Com relação ao estresse, a questão é se nós somos habilitados a usá-lo como um vento benéfico que impulsionará nossas asas a voar mais alto pelo céu, ou se permitidos a sermos soprados por ele. Cada um de nós tem a capacidade de decidir sobre isto. Eu, de modo convicto, acredito que assim como o budismo ensina, nossa vida em seu nível mais profundo é moldada por nossa própria determinação pessoal, nossa condição mental.

Um avião não poderá voar sem a resistência do ar que o faz subir. Paralelamente, se nós não tivermos nenhuma resistência em nossas vidas, nenhum problema ou desafio, poderemos perder nosso foco e senso de direção. Assim, tudo depende se somos capazes de usar o 'vento' de modo positivo. Enquanto estivermos vivos, haverá alguns momentos de estresse em nossas vidas. O mais importante é aprendermos a lidar com ele e usá-lo como um impulso para o nosso crescimento, para ampliar os nossos horizontes e encontrar uma felicidade ainda maior.

Por Mirror Weekly - colaboração de Charles Chigusa.

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • #1 Josival B. Albuquerque
    09/11/2011 14:29

    Budismo - ensinamentos para refletir... Ensinam meditações para viver plenamente??? Será monges (m) ou Monge (M).

Deixe seu comentário