1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Deficiência auditiva: Tecnologia melhora a vida profissional de deficientes auditivos

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

 

Atualmente estima-se que o Brasil tenha pelo menos 27 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência. Deste total cerca de 17 milhões tem entre 15 e 59 anos, intervalo de idade de indivíduos considerados ativos para o mercado de trabalho. A deficiência é considerada uma limitação física, mental, sensorial ou múltipla, que impede que a pessoa exerça as atividades normais da vida e dificulte a inserção social. ?A surdez e outros problemas de audição são considerados uma deficiência.

A legislação brasileira prevê a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. O artigo 93 da Lei Federal 8.213/91 estabelece que as empresas com no mínimo 100 empregados são obrigadas a preencher determinadas cotas, que variam de 2% a 5%, com portadores de deficiência habilitados ou deficientes reabilitados. ?Esta é uma forma de promover a cidadania e evitar a exclusão social. Os deficientes também querem trabalhar  e ter o seu próprio sustento. Mais do que um desejo, é um direito.

Segundo a legislação as empresas que possuem entre 100 e 200 empregados devem preencher a cota de 2%; entre 201 e 500 a cota é de 3%; de 501 a 1000 funcionários 4% das vagas devem ser destinadas a deficientes; e de 1001 em diante é obrigatório cumprir a cota de 5%. ?Uma pessoa é considerada uma deficiente auditiva quando há perda bilateral, parcial ou total de 41 decibéis (dB) da audição. A perda deve ser aferida por audiograma nas freqüências de 500Hz, 1.000Hz, 2.000Hz e 3.000Hz?, aponta Rita, se referindo aos Decretos nº 5.296/04 e nº 5.298/99.

De acordo com dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) 2010, das pessoas com deficiência que estão incluídas no mercado de trabalho 54,47% possuem problemas físicos, 22,49% auditivos, 5,79% visuais, 5,10% mentais e 1,26% deficiências múltiplas. ?É importante lembrar que se a surdez for detectada em um ouvido o trabalhador não é considerado um deficiente auditivo. Desta forma ele não pode ser incluído na cota que as empresas são obrigadas a cumprir.

A inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho faz parte da responsabilidade social empresarial e contribui para a formação de uma sociedade mais solidária e justa. Por outro lado, os portadores de deficiência têm que se capacitar e se qualificar profissionalmente para poder exercer alguma função. ?Nem todos os cargos podem ser preenchidos por deficientes auditivos. A legislação impede que os surdos atuem na função de motorista no segmento de transportes de cargas?..

 

Tecnologia devolve audição

Para oferecer melhores condições de vida para quem sofre com a perda auditiva, e até contribuir para a sua entrada e consolidação no mercado de trabalho, estudos científicos aliados a tecnologia criaram várias alternativas que beneficiam a audição. ?Os aparelhos auditivos são os mais comuns. Eles são indicados quando há perda auditiva definitiva, em um nível que afete o entendimento dos sons da fala. Os dispositivos podem ser usados mesmo com a presença do zumbido e inclusive atuam de maneira benéfica no tratamento do problema?.

Outra alternativa é o implante coclear, também conhecido como ouvido biônico. O equipamento eletrônico computadorizado tem como finalidade estimular o nervo da audição por meio de impulsos elétricos. O implante é colocado de maneira cirúrgica e é o recurso mais avançado para o tratamento da surdez atualmente. ?O implante possui a parte interna, composta por eletrodos que ficam dentro do ouvido e se comunicam com um receptor colocado por baixo da pele atrás da orelha, e a parte externa, que possui uma antena transmissora, um microfone e um processador de fala?.

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário