1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


A hora da mudança: A quadratura entre Urano e Plutão e o contexto atual

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Urano e Plutão estão quadrados no céu. Estes dois gigantes que só se encontram a cada mais de 100 anos, fizeram sua última conjunção em 1965 e agora, em seu desenvolvimento, fazem um aspecto chamado quadratura no céu. É uma tensão, que vem para testar a estrutura e os limites de tudo que aconteceu e/ou foi criado/desenvolvido quando houve a conjunção. Urano, o grande inovador e também o rebelde do zodíaco, se uniu ao poderoso Plutão nos anos 60 no signo de Virgem, trazendo avanços tecnológicos que vemos desde então e, gerou, na época, uma série de movimentos rebeldes e transgressores em todo mundo, golpes e movimentos de independência. O fato é que Urano e Plutão juntos não aceitam mais o que já foi estabelecido até então e querem fazer tudo diferente. Quando eles se encontram, surge também muita coisa nova, especialmente em termos de tecnologia, modernidade e inovação. Até porque estes dois planetas são os grandes regentes de toda tecnologia de ponta e de tudo que é mais avançado e que traz as grandes mudanças da nossa vida. Como a conjunção foi em Virgem, mudou também a forma de se fazer as coisas, os métodos, a produção e a forma como vivemos nosso dia a dia, até porque muito do que foi criado mudou nossa rotina e a forma como trabalhamos.

 

Agora, em plena quadratura cujos efeitos já estamos sentindo desde o ano passado e sentiremos até 2015, parece haver um teste em relação a tudo que foi desenvolvido nos anos 60. Já estão acontecendo muitos “tilts” tecnológicos e muitos ainda devem acontecer. Pelo menos em algum nível podemos esperar por apagões tecnológicos, falhas grandes nos sistemas e graves problemas nas comunicações, incluindo telefone e internet. Mais do que em outros tempos, não devemos confiar plenamente na tecnologia. É importante termos backups de tudo e confiar mais no bom e velho papel, nos impressos, naquilo que fazemos à mão. De qualquer forma, é importante não termos tudo armazenado em um único lugar. Bom, mas pensando também em nível coletivo, devemos estar preparados para qualquer tipo de pane que envolve tudo que está ligado à tecnologia, especialmente o que temos de mais avançado e isso inclui o sistema financeiro, as indústrias, a aviação e quase tudo que acontece hoje no mundo. Se isso acontecer, é porque ainda não está tudo tão estruturado e confiável como se prega e ainda há muito o que ser aperfeiçoado. É, portanto, um momento de repensar tudo isso e isso inclui a forma como a tecnologia faz parte da nossa vida, como ficamos dependentes de tudo isso, como no caso da internet e telefones celulares, dos quais mal podemos sair de perto hoje em dia. Até mesmo as relações afetivas estão fortemente influenciadas e em alguns casos conturbadas por causa disso tudo e esse é um ótimo momento para pensar nisso com carinho.

 

Mas Urano e Plutão regem também outros assuntos agora em pauta. Um deles e ainda falando de tecnologia, mas olhando para outras coisas, estamos vivendo um momento no qual o planeta grita por mais cuidado e solução, especialmente no que diz respeito à necessidade de produção mais sustentável, menos produção de lixo e mais atenção ao meio ambiente, e entre os outros aspectos astrológicos presentes atualmente, esta quadratura também enfatiza isso.

 

Quando aconteceu a conjunção Urano e Plutão, também vimos no mundo todos os movimentos de revolta e mudanças, a vontade de se libertar que contagiou os anos 60. Agora, na quadratura, muitos desses assuntos estão sendo novamente falados, muita coisa que na época esteve oculta está sendo revelada e questões importantes estão vindo à tona, como é o caso da ditadura no Brasil, que agora tem seus arquivos abertos.

 

O fato é que estes dois planetas tão importantes e presentes nas grandes transformações do mundo estão em contato, o Urano no inovador signo de Áries e o Plutão no estruturador signo de Capricórnio. Estão desenterrando velhos problemas, tirando o lixo debaixo do solo, balançando tudo para ver o que se sustenta e o que é tão frágil que pode ruir. E estão pedindo medidas urgentes para mudar tudo isso, uma nova forma de encarar a vida e a realidade, uma nova maneira de fazer tudo, porque pelo que estamos vendo muito do que é hoje já não nos serve mais.

 

E isso vale para o coletivo, mas vale também para as nossas vidas pessoais, que em alguma área e em algum nível estão passando por mudanças importantes, profundas, significativas, e precisamos agir urgentemente, antes que a vida se encarregue de fazer isso por nós. Bom, mas em algum nível isso também já está acontecendo, pois não é de agora que o céu está dando um belo chacoalhão em todos nós, pedindo ou trazendo mudanças, pequenas ou grandes, em alguma ou muitas áreas da nossa vida. Quem se adiantou e já iniciou este processo agora precisa ajustar isso ao momento, mas quem ainda nem começou pode sofrer com as mudanças impostas pelas circunstâncias exteriores.

 

Este aspecto lembra muito o filme Melancolia, de Lars Von Trier, que conta a história de um planeta que está prestes a se chocar contra a Terra. E o filme conta a história de duas irmãs diante desse fato aparentemente imutável, que pode colocar fim à vida na Terra. Uma das irmãs, Justine, interpretada por Kirsten Dunst que acaba de se casar vive bem o Urano em Áries ao abandonar o marido em plena noite de núpicias e romper com toda etiqueta e tudo que estava perfeitamente estabelecido diante da sociedade. Vive sua melancolia e seu individualismo, sem pensar nas consequências do que vem a seguir, aparentemente até torcendo para que o planeta Melancolia chegue logo e aconteça o que tem que acontecer. Já sua irmã, Claire, interpretada por Charlotte Gainsbourg vive o Plutão em Capricórnio, enquanto fica apegada às (falsas) certezas daquilo que já é conhecido e que não pode mudar. Confia na certeza científica de seu marido e apega-se a todas as estruturas do que já tem. Talvez o contexto atual seja um pouco assim: existe a opção de romper com o pré estabelecido e encontrar novas formas de se viver a vida, com soluções mais autênticas, criativas e inovadoras, mas mais focadas no indivíduo, com ações partindo de cada um em nome de todo contexto social. Mas existem aqueles que estão apegados às velhas formas e estruturas, não para aprender com a experiência do passado, mas para preservar aquilo que aparentemente traz segurança, estrutura, o que parece ser sólido. Só que neste momento, as incertezas são grandes e nada é tão certo como parece. É fato que vai tudo mudar e que temos que tomar alguma providência diante disso.

 

O Urano em Áries está pedindo essa ação, a iniciativa de cada um, enquanto o Plutão em Capricórnio nos lembra o tempo todo que isso é papel de todos, pois as mudanças afetam toda a sociedade. Individual e coletivo devem se unir, cada um assumindo sua parcela de responsabilidade diante de tudo isso. Não dá mais para empurrar com a barriga, não dá mais para prometer sem cumprir. O céu pede atitude e mudança, em caráter de urgência, porque com um aspecto deste porte envolvendo esses dois gigantes, a ordem é mudar ou mudar, por bem ou por mal, por livre e espontânea vontade, ou por forte pressão.

 

E não precisamos correr ou esperar estar tudo pronto para fazer isso. Pequenas mudanças já podem trazer grandes resultados. O mais importante, agora, é fazer algum movimento, é mexer as coisas, é encarar as verdades e assumir as responsabilidades. É ter consciência de que o mundo e toda esta estrutura que foi criada está abalada e que cada um pode fazer a diferença. E agora esta quadratura que está exata no céu e tem seus efeitos estendidos até 2015 diz que chegou o limite e que de agora em diante as coisas precisam ser diferentes. Deve ficar apenas o que tem estrutura, o que é de verdade. O que faz sentido. Onde tem amor, onde tem vontade, onde tem honestidade. O que deve ficar. Por isso, nada de apego. Não podemos mesmo controlar a vida, mas podemos fazer nossa vida melhor se assumirmos as rédeas dela, se formos mais verdadeiros, com nós mesmos e com os outros, e se tratarmos de abrir mão de tudo aquilo que não serve mais, dos medos, dos controles, do que já se foi. Porque de agora em diante, um novo mundo está começando e o ano que prometia ser o último, o do fim do mundo, tem tudo para ser o primeiro de uma nova fase, de um novo momento e realidade.

 

Não teremos um planeta se chocando contra a Terra. Tampouco os maias vão aparecer anunciando o final. Mas teremos sérios problemas se não fizermos nada para mudar, pois como estamos acompanhando, há muita violência, intolerância e problemas seríssimos no mundo, em termos de miséria, sofrimento, meio ambiente, a promessa de falta de água e o fim de muitos recursos naturais que precisamos para viver. Isso significa que o mundo pode não acabar em 2012, mas em 2012 o céu está cheio de lembretes sobre o quanto precisamos tomar uma atitude urgente para a vida que continue possa ser positiva, sem sofrimento, com mais tolerância e integração entre todos.

 

Urano e Plutão estão nos acordando, chamando para agir, querem uma revolta contra tudo que não está bom, mas querem ações concretas e urgentes para resolver tudo que precisa de solução. Portanto, mãos à obra que não temos mais tempo à perder!

 

Mas vamos integrar o que pede Áries ao que pede Capricórnio, e vamos no ritmo certo, pois como diz Saramago: Não tenhamos pressa, mas não percamos tempo. É bem por aí!

 

FONTE: Titi Vidal, astrológa.

E-mail: titividal@titividal.com.br

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário