1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Nos dias de hoje: Aprendendo a desenvolver sua fé

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

 

Desenvolver a fé é uma das mais importantes lições que o ser humano tem a aprender em sua jornada neste planeta. Do ponto de vista das religiões tradicionais, a palavra fé está relacionada à simples aceitação dos dogmas, sem qualquer questionamento racional. 

 

Porém, numa abordagem voltada para os processos psicológicos do ser humano e seus conteúdos inconscientes, a fé tem um sentido muito mais amplo e complexo e relaciona-se com a intuição, uma sensação inconsciente que não é nem lógica e nem prontamente explicada, mas que não obstante está presente no ser humano, ocorrendo de modo instantâneo como o relâmpago.

 

Para a astrologia, o planeta Júpiter simboliza o arquétipo* da fé. Existe um vínculo simbólico entre Deus como o pai poderoso e protetor, que reluz com a luz da sabedoria, preocupa-se com a iluminação espiritual e celestial e Júpiter.

 

O arquétipo de Júpiter representa o esforço do homem de alcançar a sabedoria, através de uma fé genuína. Sendo um arquétipo masculino de Deus, ele protege os outros, é generoso e verdadeiramente criativo, incansável em seus esforços positivos e no otimismo.

 

A fé que Júpiter retrata é a nossa capacidade de relaxar e confiar na vida. Ao invés de ser um pensamento externo, a verdadeira fé encontra-se no íntimo de nosso ser, orientando nossas ações e sentimentos para o resultado desejado. Quando o ser humano consegue ficar verdadeiramente unido à sua fé, nada no mundo poderá incomodá-lo.

 

Mas a fé também tem seu lado destrutivo. Quando direcionamos nossa fé para a negatividade, acreditando na pobreza, na doença, na falta de sorte, nas desgraças, atraímos para nossa vida todas as situações indesejadas que tanto tememos. A dúvida de que Deus poderá falhar e não vir em nosso socorro é uma força insidiosa que se aloja em nossa consciência, trazendo o medo e separando-nos de nossa fé.

 

O medo disfarça-se de muitas formas sutis. Comece percebendo até que ponto o medo controla sua vida. Você tem medo de dizer o que realmente sente? Você se reprime? Deixa as pessoas desrespeitarem você? 

 

É claro que há muito que temer neste mundo. Em algumas circunstâncias o medo é algo que nos protege dos perigos. Mas é preciso estar atento para deixar que ele venha à tona somente diante de ameaças potencialmente reais e não daquelas criadas por nossa mente.

 

Algumas dúvidas são positivas, pois representam a voz de nossa sabedoria interior, dizendo-nos que algo pode não ser bom para nós. Para perceber a diferença, é preciso que confiemos em nossos sentimentos e em nosso Eu Superior, e eliminemos as vozes que vêm de nossas ilusões. É preciso cuidado com a dúvida, pois ela pode acabar virando uma suspeita auto-destrutiva venenosa, que nos distancia da verdade. 

 

O poder da fé age para ajudar-nos a mergulhar no desconhecido. Quando desistimos de querer que nossa vida seja de uma determinada maneira e permitidos que Deus a guie, surpreendentemente descobrimos que ela se torna muito mais incrível do que jamais imaginamos.

 

* Os arquétipos são modelos originais através dos quais os anseios e as motivações humanas podem se expressar. Esses valores que permeiam a natureza humana também podem ser encontrados nas fábulas, nos provérbios, nos mitos e nos contos de fadas.

 

Por: Elisabeth Cavalcante

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário