1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Ar é Vida: Monze Zen ensina como meditar e respirar

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Por que nós temos que caminhar lentamente assim? Por que vocês devem se conter reduzindo a velocidade desta forma? Não parece natural. No princípio, pessoas ao redor do centro de prática sempre dizem: "Eles não parecem morar no mundo real. Eles gostam de viver em um sonho, eles caminham tão lentamente". Essa é uma primeira impressão porque no mundo as pessoas sempre correm. Elas não sabem a arte de parar. Elas não sabem a arte de viver cada momento de suas vidas profundamente. Assim quando elas vêem uma monja ou monge, ou um pessoa leiga caminhando, contemplando, sorrindo assim, não sentem isto como normal. Elas sentem como (algo) anormal.

Uma aldeã que mora perto de um mosteiro, em New Hamlet, disse que ficou muito, muito surpresa e chocada quando viu uma monja que caminhava lentamente e que parou para olhar o lixo. Qual a utilidade de se olhar o lixo daquela forma por tanto tempo? O que é normal e o que é anormal? Há pessoas que demonstraram que depois de algumas horas ou alguns dias em Plum Village, começaram a gostar da prática. Porque, pela primeira vez, elas souberam parar. Poder parar é uma coisa maravilhosa, porque estas pessoas podem ter estado correndo durante os últimos 3.000 anos...

Por favor, quando inspirar, não faça esforço para isso. Vocês apenas
se permitem inspirar. Até mesmo se você não inspira, inspirará por si.
Assim não diga: "Minha respiração, venha, de forma que eu possa lhe
dizer como inspirar." Não tente forçar qualquer coisa, não tente
intervir, apenas permita a respiração acontecer. O que vocês têm que
fazer é estar atentos ao fato de que a respiração está acontecendo.
E terão mais chance de desfrutar sua inspiração. Não lutem com sua
respiração, é o que eu recomendo. Percebam que sua inspiração é uma
maravilha.

Quando alguém está morto, não importa o que façamos, a
pessoa não inspirará novamente. Assim nós estamos inspirando, e isso é
uma coisa maravilhosa. Inspirando eu sei que estou vivo, é um milagre.
Nós temos que desfrutar nossa inspiração. Há muitos modos para
desfrutar sua inspiração. Nós queremos que vocês nos falem como
desfrutam sua inspiração, se em posição sentada ou em posição andante.
Mas se vocês não tem prazer em inspirar e expirar, não farão isto
direito.

Esta é a primeira recomendação sobre respiração que o Buddha fez.
Quando inspirando, eu sei que este é inspiração. Quando expirando, eu
sei que este é expiração. Quando a inspiração é longa, sei que é
longa. Quando é pequena, sei que é pequena. Apenas reconhecimento,
mero reconhecimento, reconhecimento simples da presença da inspiração
e expiração. Quando você faz assim, de repente fica completamente
presente. Isso é um milagre, porque meditar significa estar presente.
Assim vocês entendem as duas orações "Inspirando, eu sei que estou
inspirando. Expirando, eu sei que estou expirando." E alguns minutos
depois, "Inspirando, sei que minha inspiração ficou profunda. Expirando, sei que minha expiração ficou lenta."

Não há esforço para fazer a inspiração mais profundo ou a expiração mais lenta. É apenas um reconhecimento do fato. Estas instruções serão usadas para nossa meditação andante depois da palestra de Dharma. Depois de ter seguido sua inspiração e expiração durante alguns minutos vocês notarão que elas têm agora uma qualidade muito melhor, porque a imagem da consciência, quando toca qualquer coisa, aumenta a qualidade daquela coisa. O Buddha quando toca algo, revela e aumenta a qualidade de ser daquela coisa.

Consciência é o Buddha, portanto ele assume este papel. Quando você olha a lua cheia, e se está atento, "Inspirando vejo a lua cheia e expirando sorrio à lua cheia," de repente a lua cheia se revela talvez cem vezes mais claramente a você. Está mais bonita, está mais clara, é mais agradável. Por quê? Porque a lua foi tocada através da consciência. Assim quando vocês tocam sua inspiração e expiração com sua consciência, sua inspiração fica mais harmoniosa, mais gentil, mais funda, mais lenta, e assim faz também sua expiração. Agora vocês desfrutam o respirar-para-dentro e o respirar-para-fora. Naturalmente sua respiração fica mais agradável, a qualidade de sua respiração aumenta.

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário