1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


O conceito do sucesso - Parte final: Reconhecendo as variáveis ocultas

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Variáveis ocultas são o que são, não estão sob seu controle. Você não pode interferir mais sobre elas. Há uma verdade nisso, eu não contesto. Eu tento trazer a tona essas variáveis ocultas, o tanto quanto possível e assim quando eu posso. Mas pelo caminho existem variáveis ocultas. A coisa toda é um jogo de percentagem e eu preciso mudar cognitivamente, o que trará uma mudança necessária em mim. Eu não estou falando sobre saúde e pensamento positivo.

Eu estou falando de pensar de uma forma apropriada. Se você entender o que você não tem e quer ter, isso é pensamento negativo? Isto é pensar. Assim, você não lamenta sobre isso, que nasceu de uma certa atitude, uma atitude conseqüente para a minha mudança cognitiva. O que eu estou tentando fazer aqui é ver se somos capazes de ver certos fatos sobre esta questão.

Viver uma vida de conquistas é um jogo de percentagem. Quando eu planejo e ajo para alcançar um determinado resultado, eu posso ser surpreendido com um resultado que é ainda mais do que eu me propus a realizar. Ou eu posso realizar exatamente o que eu queria, ou posso realizar menos do que aquilo que eu queria, ou posso conseguir algo oposto. Tomemos o simples ato de pegar o ônibus. Estou em um lado da rua. O ponto de ônibus é do outro lado.

Eu tenho que atravessar a rua e pegar o ônibus. Meu desejo é pegar o ônibus, então, eu atravesso a rua e pego o ônibus. Este é o sucesso. Ou, eu atravesso a rua e um amigo pára o carro e me dá uma carona, isto é mais do que eu queria. Assim, eu sou muito bem sucedido. Estas duas coisas eu não preciso gerenciar de modo algum. Se as coisas acontecem em toda minha vida desta forma, não há problema. Mas quando eu recebo menos do que eu queria, eu tenho um problema de gestão. Eu atravesso a rua. Eu perco o ônibus.

Esse resultado eu tenho que levar em conta. Eu não ajo em nada. Algumas pessoas dizem que você deve executar a ação sem esperar os resultados; mas ninguém executa a ação sem esperar os resultados. A ação é destinada somente a produzir resultados. Se for menor do que o esperado, é um fato. Você é uma pessoa cognitiva e isso você vai ver; pois você tem que administrar essa situação.

Depois, há o oposto do que é esperado. Eu estava atravessando a rua; então, dois dias depois, eu me encontro acordado no hospital, fazendo algumas perguntas básicas, como: "Onde eu estou? Quem sou eu?” E assim por diante. Estes quatro tipos de resultados são inerentes a esta ação, porque há variáveis escondidas.

Se o resultado é mais do que o esperado, as variáveis ocultas são a seu favor, ou você conseguiu exatamente o que você queria.Novamente, as variáveis ocultas estão a seu favor. Se o resultado for menor do que você queria ou o oposto do que você queria de forma oculta, as variáveis ocultas não estão em seu favor. A única satisfação é: poderia ter sido pior.

Na Gita nós temos uma declaração que diz: "Sempre tenha a mesma mente ao obter o desejável e o indesejável," ista-anista-upapatisu nytiam samacittatvam. Os dois primeiros resultados que vimos são desejáveis: ista. Os outros dois não são: anista. Na seqüência dos dois, se você pode comandar uma mente, uma atitude em que você é o mesmo (samacittatvam), nem muito entusiasmado, porque você conseguiu mais, nem deprimido porque não conseguiu o que queria, então você é bem sucedido em termos de administrar os seus desejos. Caso contrário, você tem que satisfazer todos eles para ser bem sucedido.

Administrar os desejos não é controlar os desejos, porque os desejos são um privilégio. Você só tem que ser pragmático em termos de saber se vale à pena buscar o desejo ou se é possível satisfazê-lo com os recursos e as limitações que você tem. Uma pessoa cognitiva será capaz de decidir isso e um indivíduo tem esta liberdade para desejar. Uma vez que você decide realizar um desejo, no processo, há a sua auto-expressão, que é muito gratificante. Os desejos são um privilégio e seu trabalho para realizá-los é outro privilégio.

Se você não tem o entusiasmo para satisfazer um desejo devido à inércia, isso é uma tragédia. Você não precisa de mais nada para se sentir mal por dentro. Quando você está bem e faz alguma coisa, isto é auto-satisfação, porque vem da liberdade. Essa liberdade é manifesta na sua atividade e a pessoa cognitiva manifesta-se no planejamento. Na verdade, você está se expressando por todo o caminho e o problema só começa quando você começa a reagir aos resultados. Quando eu reajo aos resultados, acho que ou eu estou eufórico ou deprimido. Isto é um pêndulo.

A Gita me diz um pouco mais sobre a situação. Você tem a escolha, a liberdade, com referência ao curso da ação para satisfazer um desejo. Mas você não tem controle total sobre o resultado, pois que existem demasiadas leis que você tem que levar em conta. Também, existem muitas variáveis para controlar assim que me dizem: karmani eva adhikarah te, "Você tem uma escolha somente sobre sua ação."

O resultado é cuidado pelas leis sobre as quais você não tem controle algum. Nós não temos conhecimento de todos elas. Nossa compreensão das leis é muito limitada. É algo como o orçamento para o seu futuro. Você tem alguns dados básico sobre qual será o seu orçamento para o ano, com base no que você pretende realizar este ano, as suas despesas, receitas, etc; e, você chega a um valor. Então, você adiciona algo para quaisquer variáveis ocultas, dez por cento, talvez.

Mas, então, as variáveis ocultas não podem ser apenas dez por cento. É muito claro que, com o conhecimento limitado e o poder eu não posso pensar no que vai acontecer no futuro. É impossível descobrir o que está por vir. Eu não posso saber tudo o que vai acontecer e mesmo se pudesse saber, eu não poderia parar. Eu sou limitado em competências, habilidades e conhecimento. Este é um fato que você tem que reconhecer.

Quanto mais você reconhecer isso, mais você estará equipado para lidar com isso. Esse reconhecimento, na sua esteira, traz uma mudança em sua atitude em relação a si mesmo e também para o que você está enfrentando. Como os resultados são esperados e porque eu sou pragmático e suficientemente equipado cognitivamente, eu sou capaz de tomá-los como eles vêm.

Porque eu entendo que eu não posso acertar todos os tiros e porque os resultados são inerentes a cada ação, só posso estar sempre em oração, e recebê-los como eles vêm. O pragmatismo vem do entendimento de que os outros dois, o de menos e o oposto, também são esperados. Eles estão no jogo.

Então você ouve da Gita que você tem uma escolha sobre as suas ações. Você pode agir, você não precisa agir, ou você pode agir de maneira diferente. Você tem um desejo, que você escolheu para satisfazê-lo e escolheu um curso de ação. É livre o tempo todo. Não há permissão ou impedimento à sua liberdade.

Mas quando o resultado vem, você acha que a sua liberdade se foi, porque o resultado vem de acordo com suas próprias leis, as quais nós não entendemos. A Gita diz que você tem escolha sobre sua ação. Você é o autor de sua ação (karma-hetu), mas não do resultado (karmaphala hetu). Você não é a origem do resultado da ação, porque há muitas leis envolvidas.

Se eu entender isso, eu posso ir mais longe e perceber que todas essas leis são dadas. As leis podem até mesmo incluir a lei do karma; suas próprias ações passadas podem ser úteis a você ou contra você. Na experiência humana, nós achamos que uma é sorte e a outra não é sorte. Enquanto a boa sorte e a má sorte estão lá, você tem que aceitar que há alguma outra força, porque não há nada de acidental neste mundo.

Todo acidente é explicável. "Acidente" é uma palavra para um incidente no tempo e lugar cujas causas não são conhecidas. O entendimento de que não tenho escolha sobre os resultados das minhas ações me dá a capacidade para ser objetivo e receber os resultados como eles chegam. Eu posso ser mais sábio, à luz do que eu consegui ou não consegui. Ninguém é um perdedor. Apenas uma mudança de atitude me faz sentir livre, com referência ao meu desejo e a satisfação dos desejos. Se toda a minha vida se torna Yoga, me torno mais sábio, nunca o perdedor.

Isto é o Yoga. As leis que existem são dadas, mas elas não são dadas ou criadas por mim. Meu corpo em si é dado. Minha mente é dada. Meus sentidos são dados. Minha filiação, a terra, as galáxias, o universo, o mundo dos objetos quânticos são todos dados. Se tudo é dado, isso significa que ninguém cria nada.Tudo está disponível na superfície ou como um potencial.

Cada segmento de software e cada máquina que foram descobertas eram potenciais.Nós nunca conseguimos o impossível. Nós vemos uma possibilidade e trabalhamos nisso. O homem foi à lua e voltou porque era uma possibilidade. Certas coisas estão colocadas numa forma potencial a serem exploradas através da ação. Entre a ação e o resultado possível, a conexão já está prevista.

Tudo é determinado. O corpo, a mente e os sentidos são inteligentemente colocados juntos e dados. Você não pode pensar em algo inteligentemente para ser colocado junto para servir a um propósito, que não implique um conhecimento prévio. E o conhecimento implica, necessariamente, um ser consciente. Se tudo que está aqui é dado, isto implica conhecimento, o que implica um ser consciente. Este ser consciente tem que ser aceito e se ele for, você diz que ele é Deus.

Este Ser inteligente que criou tudo isso junto é, necessariamente, todo o conhecimento. Uma vez que tudo é dado, aquele Ser inteligente, aquele conhecimento, tem que se manifestar sob a forma de tudo o que está aqui. Nada pode estar fora dessa realidade. Deus não pode estar sentado em algum lugar no tempo e no espaço e criar tempo e espaço.

Tempo e espaço não são absolutos, pois eles são parte do todo. Além disso, Deus não pode estar fora do tempo e do espaço, pois nosso conceito de fora está no espaço. A única alternativa é que o próprio espaço não é separado de Deus. O tempo em si não está separado de Deus. Toda lei, toda a força, forte e fraca, não está separada de Deus.

Tudo que está aqui é Deus. Se eu puder ter essa consciência é mais fácil para mim aceitar as coisas. Meus conhecimentos e poderes são limitados. Eu só posso planejar muito, mas eu posso aprender no processo. Portanto, a vida não é uma questão de julgamento com base em um dia. Se eu apreciar este processo, eu sou bem sucedido. Eu me torno mais sábio. Isto nasce do entendimento, é a liberdade expressa.

Meu desejo é uma expressão de liberdade. Não se liga a mim e é um privilégio. Se eu olhar para ele dessa maneira, minha vida é chamada de uma vida de Yoga. Eu cresci como pessoa. É aquela pessoa que pode se tornar compassiva, que pode ser o entendimento, que pode ser o não-julgamento desabonador sobre si mesmo e os outros também. Essa pessoa é bem sucedida.

Om tat sat.

Fonte: Swami Dayananda Saraswati (tradução:Humberto Meneghin) para Yoga.pro

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário