1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Chegada de um irmão: E agora?

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

O nascimento de um irmão transforma as relações entre o primogênito e seus pais. Convidamos a psicóloga Rafaela Paixão,  para esclarecer os fatos importantes desse processo
 

Para os irmãos mais velhos, a ideia de compartilhar o que antes eram apenas dele pode ser visto como algo assustador, que acende valores competitivos que podem ser entendidos como autoproteção. “Na tentativa de chamar a atenção para o que está sentindo, a criança, muitas vezes, começa a fazer birras e a apresentar alguma hostilidade, comportamento de recusa ou mesmo uma aproximação excessiva de um dos pais”, afirma a psicóloga Rafaela Paixão, do CPPL.


Aos pais, recomenda-se atenção redobrada para esse momento. Muitos se projetam em um de seus filhos e acabam por se dedicar ou proteger um deles em detrimento do outro. “Por exemplo, reviver com seu primogênito toda a dedicação que um dia desejou como primogênito dos seus pais ou experimentar com o bebê recém-chegado toda a impaciência que já teve com seu irmão caçula”, diz a profissional.
 

Mais do que isso, os pais são responsáveis por atribuir valores e desmitificar suspeitas na relação entre os irmãos. É por meio dos pais que a criança passa a viver essa experiência como algo maior que uma rivalidade fraterna. “Este pode ser um passo importante para que a relação entre os irmãos seja construída criativamente e timbrada com o selo da amizade. Com todas as ambivalências e rivalidades que uma relação como está implica, é claro”, comenta Rafaela Paixão.


Fonte: Rafaela Paixão, psicóloga.

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário