1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Quem você é: Descubra na sua herança ancestral

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Tudo que você é, de Corpo, Mente e Espírito

Por Claudio Quintino Crow*

Olhe-se no espelho por alguns instantes: a cor da sua pele, seus olhos e seu cabelo; a espessura dos lábios, o formato do nariz, suas rugas de expressão: quanto disso é de seu pai e de sua mãe?
Goste você disso ou não, tudo o que você é fisicamente é herança direta deles - e de todos os que vieram antes.

E suas ideias e conceitos? Mesmo que inconscientemente, tudo em que você acredita veio de seus antepassados. Os valores que influenciaram seu dia-a-dia na infância refletem-se no que você crê hoje - seja por conscientemente concordar com esses valores, ou por absorvê-los sem sequer se dar conta, ou mesmo quando você rejeita esses valores para seguir seu próprio caminho. De uma forma ou de outra, o que você pensa descende daquilo que o mundo à sua volta pensava em seus anos formativos.

Com suas crenças ocorre o mesmo: por aceitação ou discordância, a forma atual de sua espiritualidade é resultado direto do que lhe foi transmitido por seus ancestrais: pais, avós, vizinhos, instrutores, colegas e todos os que cruzaram seu caminho até hoje.

Afinal, nem só de sangue é feita a sua ancestralidade: especialmente nos assuntos da alma, costumamos ter muitos outros agentes no contínuo processo de formação de nosso espírito: amigos que nos ensinam informalmente, autores dos livros e pensamentos que nos inspiram, instrutores que nos apresentam novos conceitos, professores que, através de seus estudos e pesquisas, instigam nossas mentes e tocam nossas almas.

E seu local de nascimento? Você pode nem mais viver nele, pode até ter nascido ali por acaso: mas o espírito do local onde você nasceu estará para sempre presente em sua vida - a começar por sua certidão de nascimento e documento de identidade. A cada crediário, a cada novo emprego ou novo contrato, o espírito do local onde você nasceu se faz lembrar, para que você jamais esqueça de quem você é. Da mesma forma que, a cada olhada no espelho, a sua herança genética lhe lembra de todos os que viveram antes e que hoje vivem através de você.

Como você tem tratado seus Ancestrais?

A pergunta nada tem a ver com “gostar”, nem mesmo com “aprender a gostar” de seus ancestrais: trata-se, isso sim, de gostar de si mesmo. De conhecer a si mesmo. E conhecer a si mesmo é conhecer suas origens - físicas, mentais e espirituais. Não importa se você ama ou não seus pais ainda vivos, se um ou ambos já faleceram, se você mal os conheceu ou mesmo se foi adotado na infância sem jamais ter feito contato com seus genitores biológicos.

O fato é que, gostando ou não, em qualquer que tenham sido as circunstâncias, um dia o evento mágico do encontro de um espermatozoide e um óvulo se encontraram - com ou sem amor entre eles - e essa mulher, salvo raras exceções, carregou-lhe no ventre por meses - com ou sem amor entre vocês.

E nutrindo você amor por eles ou não, o fato é que a Vida encheu-se de amor por você nesse longo e mágico processo que culmina no dia de hoje nessa alma única e especial que, através de seus olhos, recebe estas palavras.

Ancestralidade é coisa séria: todos nós temos nossas linhagens (física, mental e espiritual) - ainda que nem todos as valorizem. Fazer as pazes com quem somos é de fato o primeiro passo para sermos melhores a cada dia.

Reserve algum tempo para conhecer sua Ancestralidade. Conhecer de fato, não apenas agrupar nomes e datas numa folha de papel. Quem foram as pessoas por trás dos nomes? Onde viveram? De onde vieram? O que faziam? No que acreditavam e com o que sonhavam?

Dê uma biografia aos nomes, dê significado às datas e locais: todos eles são capítulos na sua aventura de vir-a-ser.

Isso não significa forçar-se a gostar de seus ancestrais, longe disso: afinal, todos nós temos ao menos um ancestral detestável e impossível de gostar. Mas é preciso reconhecer a importância dessa(s) figura(s) em nossa história pessoal - bêbados, marginais, contraventores, covardes, tiranos, pouco importa: sem eles, não estaríamos aqui. Isso é honrar.

Árvore Espiritual

Da mesma forma que é possível desenvolver uma árvore genealógica de sua família, é possível organizar uma ‘genealogia’ de ideias e conceitos. Independentemente de ter ou não uma religião, lembre-se daqueles que, pessoalmente ou através das páginas de livros, provocaram sua mente e sua alma. Lembre-se dos autores que, em suas obras, lhe apresentaram ideias novas, ou que disseram exatamente o que você pensava, ou mesmo que contrariaram suas crenças mais íntimas a ponto de levá-lo, através da discordância, a formular seus próprios conceitos pessoais.

Assim como com sua ancestralidade familiar, você pode gostar deles ou não; mas todos - todos! - esses instrutores estão inseridos para sempre em sua vida e fazem de você quem você é.

Por fim, pense em sua espiritualidade - reflita sobre aqueles que, de uma forma ou de outra, moldaram aquilo em que você acredita: até mesmo se você for ateu, alguém em sua família ou círculo pessoal, um instrutor direto ou mesmo um autor com o qual tenha concordado levou-o a crer no que crê, ou a crer que o melhor é não crer.

E se você segue alguma espiritualidade - organizada ou não, grupal ou individual, hierárquica ou não -, lembre-se agora daqueles que, pessoalmente ou por sua obra, lhe apresentaram os conceitos e fundamentos. Mesmo que você não seja “batizado”, “convertido” ou “iniciado”, esses indivíduos tocaram sua alma de algum modo e hoje são sua ancestralidade espiritual. Eles abriram o caminho que você hoje trilha.

Seja qual for a sua fé, pense agora nos homens e mulheres santos de sua senda, em seus ‘espíritos elevados’ que nos servem de exemplo; nas grandes forças que, por sua visão, moldam o mundo e nossas vidas: todos eles - do ser mais poderoso ao seu instrutor mais imediato - todos eles são seus ancestrais de alma, goste ou não disso.

Negligenciar a Ancestralidade de Alma é tão nocivo quanto negligenciar sua linhagem de sangue. Não se trata de estabelecer um “pedigree” que faça de você melhor ou pior do que os demais, mas sim de ter claro na mente e na alma quem é você e de onde vem - de forma tão clara como quando, ao olhar no espelho, sua herança biológica se mostra através dos traços de seus pais.

Familiares, escritores, instrutores, desafiadores, espíritos pioneiros: TODOS são seus ancestrais. São eles os principais responsáveis por tudo o que você é: de corpo, mente e espírito, gostando ou não.

Cuide de sua herança ancestral: no fundo, ela é a única coisa que você tem. É o mais valoroso bem que você pode deixar; pois pelo sangue, pelas ideias ou pelo contato de alma para alma, também você é um ancestral - para seus filhos, familiares, amigos, alunos e todos aqueles com quem você convive - de alma para alma.


(*) Claudio Quintino Crow é escritor, músico  e instrutor de cultura celta e Druidismo. Há mais de vinte anos dedica-se ao estudo e à divulgação responsável da espiritualidade celta, tendo seu trabalho reconhecido academicamente no Brasil e também no exterior. Email: contato@claudiocrow.com.br
 

Crédito fotos
Espelho: Fotógrafo stryjek/Pixmac
Fotos antigas: Stock.XCHNG
Árvore genealógica: Fotógrafo sarininka/Pixmac

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • #1 Walfrido Eustáquio dos Santos
    01/12/2010 17:29

    Nunca havia pensado em uma ancestralidade espiritual.Vou passar a enviar energia posotiva " chama violeta para eles", espero que os que lerem o artigo façam, o mesmo!

  • #2 wilson Roberto Victório
    07/12/2010 17:30

    Sou da Doutrina Espirita de Allan Kardek desde 1989 , fiz todos os cursos necessario para se torna trabalhador da Casa .Grupo Socorrista Irmão Alberto-São Paulo.Praticamente fui resgatado por essa Casa , conheci outras tantas Religiões mas não são todas que Pauta os Antepassados e os ancestrais.Quanto mais vai a busca do conhencimento sobre esse tema , cada vez mais sente-se a presença dos seus que cumpriram seus caminho dei xando sementes autenticas principalmente quando nos permetimos estar em silencio com o nosso Eu interior.Fantastico ,amo a Espiritualidade e todos aqueles que o Criador escolheu a dedo para que possamos ter o entendimento necessário para Evoluir.Parabens Claudio Quintino Crow , que o Criador desse Universo Ilumine cada vez mais seus pensamentos , suas palavras e ações que fortalece a cada dia.

  • #3 lu
    11/12/2010 01:00

    não entendi nada... achei o texto longo,mas pelos coentarios creio q se deve reverenciar nossa ordem de filiação

  • #4 Rosemary Fagundes
    13/12/2010 15:36

    Esse assunto me interessa muito vou me aprofundar mais, parabens pela Materia

  • #5 Andre Rubens Camargo Romeu
    17/12/2010 11:54

    Achei interesante o texto, e acredito que temos muitas coisas do passado.Olhando uma foto do meu bisavô, dá para dizer que sou eu no passado.E coisas que almejo profissionalmente, são as mesmas que meu bisavô foi.Incrível.

  • #6 Dílson Helano Vieira
    17/12/2010 14:55

    eu acredirto no espiritismo, e acredito também em outras vidas. No meu caso eu acho que joguei pedra na cruz.

  • #7 Debora S.
    09/03/2011 20:54

    Verdade.. Pela primeira vez pensei sobre isso, nunca achei que pode-se vim de meus ancestrais crenças e atitudes.. Por mais q ate hj ñ tenha definido uma religião certa, o q me deixa mais nervosa é o preconceito de uns de certas religiões com outros de outra.. independente qual seja.. Q Deus ilumine seu caminho... O Maximo Respeito.. PazZ a Todos..

  • #8 celina
    25/02/2012 14:39

    Parabéns quero rever suas publicações

Deixe seu comentário