1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Peso ideal : Determina a felicidade?

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Peso ideal é determinante para sucesso e felicidade?

 

Em contrapartida à ditadura da beleza é possível ter autoestima e se dar bem mesmo longe do que todos consideram o ?peso ideal?

 

Mesmo com os rígidos padrões estéticos atuais, a beleza, o sucesso com o sexo oposto e a felicidade podem sim estar acompanhados de uma manequim acima do trinta e oito. Especializada em comportamento e blogueira famosa na rede ? com seus artigos que abordam temas como relacionamento e autoestima ? a terapeuta floral Fátima Repanas garante o que muita gente parece ainda não ter percebido: para encantar e conquistar outras pessoas alguns atributos contam muito mais. ?A aparência impressiona sim, durante os primeiros dez minutos! Depois é você com seu charme, inteligência, carisma, sensualidade e alma?, aponta. ?Todo este sucesso pode vir em um corpo mais robusto ou muito mais robusto. O processo de se olhar no espelho e se ver bonita começa na cabeça. Só depois vem o cabelo, a maquiagem, o peso?.

Fátima é autora do polêmico artigo ?A menina gorda?, um texto que ilustra o sucesso e a felicidade que uma pessoa segura a respeito dos seus pontos positivos pode conquistar, independente do peso. ?No texto, inspirado em muitas experiências, a menina nem percebe que está acima do que os outros consideram um peso ideal. Ela é segura a respeito de sua imagem, é feliz e faz muito sucesso com o sexto oposto?, detalha. A profissional afirma que o posicionamento adotado pela personagem criada por ela, acaba chocando algumas pessoas. ?Infelizmente invejamos o bem sucedido, o que brilha, Quando vemos uma gordinha linda, que se ama e é sensual, isso nos deixa com raiva. Então tentamos destruir, desdenhar?.

 A terapeuta esclarece também que na vida real o olhar que temos sobre nossa imagem está ligado à autoestima e que isso independe de estar dentro dos padrões tidos como ideais. ?Cada um tem um espelho próprio. Ele começa a ser construído quando ainda somos crianças, por nossa família, nossa turminha no colégio, da rua. Dependendo do espelho que construímos, quando adultos nos amamos o suficiente para não ligar para comentários negativos. Logo, estar acima do peso é um detalhe?, aprofunda a profissional. ?Magros, gordos, belos, não tão belos, brancos, negros, exóticos, extremamente lindos, enfim, não existe biótipo específico para baixa autoestima?.

Fátima lembra ainda que o processo de construção da autoestima é contínuo e sofre influência de fatores externos, como a cultura do local onde vivemos. ?Por aqui, nos vendem que para sermos amados e amar temos que ser magros, sarados. As personagens principais de uma novelas podem ter muitos perfis: boa, má, branca, negra, rica ou pobre. Porém, todas só têm uma coisa em comum: são magras?, cita. ?Infelizmente, muitas vezes os valores começam de fora para dentro, o que acaba gerando uma busca por um padrão distante do real, difícil de atingir".  

 

Quando o assunto é beleza, Fátima acredita em uma regra: você reflete o que seu interior emana. ?Portanto, a questão de ser bela pode ser muito mais fácil de surgir em você, só olhando para seu interior, do que seguir a dieta do brócolis por uma semana?, diz. ?É preciso se amar, se aceitar de verdade. O mundo sentirá isso e devolverá com a mesma intensidade?. Para isso o caminho é o autoconhecimento. ?Mergulhar dentro de si mesma e descobrir que o mundo é muito maior do que aquilo que te cerca é a verdadeira saída. Uma pessoa segura de si mesma consegue o que quer, independente da sua aparência?.

 Um dos caminhos para esse mergulho se tornar mais fácil é a terapia. A ajuda de um profissional pode ser fundamental para entender as emoções e ações e fornecer ferramentas para promover verdadeiras transformações na autoesima.  Uma dessas ferramentas podem ser os Florais de Bach, reconhecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e com resultados comprovados em diferentes partes do mundo. As 38 essências têm como função básica restaurar o equilíbrio das emoções, agindo sobre o paciente e não sobre o problema. Existem algumas combinações que, inclusive, podem ajudar na melhora da autoestima. ?É importante dizer que essas combinações de florais são individuais. Cada pessoa é um universo diferente, portanto cada floral é particular. O floral muda de acordo com as suas mudanças, na sua velocidade e aceitação?. explica a terapeuta.

 

Terapeuta: Fátima Repanas

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário