Ir para o site

Ir direto para o conteúdo

Blog Bem Zen

Eu Estou Aqui

Já se disse que toda grande jornada começa com um primeiro passo. Ou que uma boa fundação garante que a casa não terá problemas futuros.
Na caminhada espiritual – a volta pra casa – não é diferente.
Por isso, nos workshops que conduzo gosto de apresentar aos participantes um ensinamento  com o qual meus mestres Sri Amma e Sri Bhagavan (fundadores da Oneness University) certa vez provocaram seus devotos:
- “A jornada começa com a consciência sobre onde você está e não com a obsessão quanto a onde você quer chegar”.

É fácil comprender a mensagem: quando você chega a uma cidade estranha e quer iniciar uma “jornada” por suas ruas, praças, museus, rios e monumentos, qual sua primeira providência? OK, obter um mapa. De posse do mapa, este nada lhe adiantará se não houver alguma referência explícita ou alguém que aponte para o mapa e lhe permita dizer:

EU ESTOU AQUI.

Muitos páram no início da caminhada, ou fazem deste um momento difícil do processo de auto-conhecimento: saber, reconhecer, assumir “onde estou”. É meditação que exige o que Amma Bhagavan chamam “integridade interior” – ver o que é!
Mas, basta querer ver, pois a realidade de nossas vidas comuns é nosso melhor espelho. Se o mundo externo é um mero reflexo do nosso estado interior, pergunte a si mesmo:
Como vivo minha vida ? Vivo em “estado de conflito” ou em  “estado de unidade”?

Um “estado de conflito” é habitualmente responsável por um quadro de saúde pessoal constantemente abalado, condição financeira instável e – bandeirosamente! – por relacionamentos conflitantes.  Aquela voz dentro da cabeça está em permanente diálogo conflitante… veja, é fácil ver!
Quando você está de bem com a vida, como se diz, o que ocorre? Boa condição de saúde, prosperidade, relacionamentos gentis e nutritivos. “Estar de bem com a vida” é nossa maneira bem brasileira de dizer o que os místicos colocariam como estar UM com você mesmo, com tudo à sua volta, com a presença divina.

Você passa a maior parte do tempo em
“estado de conflito”
ou em
“estado de unidade” ?

Que tal dedicarmos juntos, ao longo desta semana,  total concentração em perceber onde cada um de nós está ?
Se você topa meditar comigo, coloque por favor total atenção na percepção de estar alinhada(o) com uma “consciência inferior” (conflitante, destrututiva, repetitiva, compulsiva) ou com uma “consciência superior” (construtiva, criativa, auspiciosa, UM com a vida).

Com que nível de consciência
você está alinhada(o)?

Se você quiser descobrir mais, à medida que for observando, que estiver mais e mais conectado com a integridade interior que lhe faz ver a si mesma(o), perceba e anote:

Quais são as crenças (padrões positivos ou negativos)
existentes em mim a respeito de:
Relacionamentos, Saúde, Vida, Dinheiro, Deus

Se você colocar todo empenho e coragem para ver – integridade interior! – esteja receptiva(o) para receber a Graça, pois a libertação dos padrões destrutivos está aqui.
Amma e Bhagavan dizem: To see is to be free (Ver é libertar-se).
Seja bem vindo em compartir neste espaço sua experiência no mergulho à profundidade da integridade interior!
***************************************************************************************************

• Para conhecer mais sobre Sri Amma, Sri Bhagavan e a Oneness University, navegue em www.onenessuniversity.org. Há textos, vídeos, testemunhos.
• Sri Amma Bhagavan (como os chamamos, como uma única entidade) são conhecidos pela multiplicação em todo o mundo da prática da Diksha – transmissão de energia divina (neste caso, energia canalizada para o despertar espiritual) que se dá através da imposição de mãos. Há centenas de brasileiros iniciados para dar a Diksha. Para saber onde receber visite www.aeradaluz.com

Sobre Swami Devam Bhaskar

Instrutor da Oneness University (Índia), consultor na área da comunicação para a transformação social e jornalista dedicado aos Direitos Humanos, Bhaskar é discípulo de Osho desde 1982. Viveu na comunidade de Rajneeshpuram em 84 e 85, onde entrevistou Osho em três oportunidades: duas vezes para o Correio Braziliense e uma vez para a Folha de S. Paulo. Osho lhe deu o nome Swami Devam Bhaskar (do sânscrito Divino Deus Sol). Em 2005 conheceu os avatares Sri Amma e Sri Bhagavan, fundadores da Oneness University (Universidade da Unidade) e em 2009 passou a ministar workshops de crescimento espiritual, incluindo iniciação dos participantes como Doadores de Diksha (a Benção da Unidade). Como jornalista (normalmente assina como Geraldinho Vieira), dirigiu a ong ANDI – Agência de Notícias dos Direitos da Infância (atualmente ANDI - Comunicação e Direitos) e escreve aos domingos para o Blog do Noblat sobre temas relacionados à agenda dos direitos humanos. Ainda sobre temas de espiritualidade, escreveu também para a revista Época Negócios, Guia Lotus, Jornal de Brasília e Correio Braziliense. Bhaskar vive na Chapada dos Veadeiros (Goiás), casado com a fotógrafa Mila Petrillo (Ma Anand Niranjana).

Comentários

  1. Leonilse says:

    Caro professor, achei muito interessante os passos apresentados para desenvolvermos um EU mais equilibrado. A medida que ia lendo o texto, esperava que fosse apresentado um “curso” virtual. Como não resido na mesma cidade que o Sr., pensei na possibilidade de usar a ferramenta para, quem sabe,poder viver a transformação da “abertura dos olhos”. Como os meus ainda encontram-se um tanto fechados, hoje então que estou com a maior dor de cabeça, gostaria de participar do curso virtual. O Sr. poderia esclarecer se existe tal possibilidade? Obrigada e aguardo resposta.

  2. Bhaskar says:

    Namaste, Leonilse!

    Convido-lhe a desde já se sentir em um curso virtual, como você pede. Fica com este exercício durante toda esta semana, atenta aos estados com os quais você vai se alinhando….anota, perecebe repetições, padrões, motivações….
    Não julga o que quer que vc sinta ou perceba, apenas OLHA! OBSERVA! Só observa….

    Se na segunda-feira vc quiser compartir algo em rede ou pessoalmente, fique à vontade. Compartir é quase sempre muito bom, mas apenas se vc sentir assim.

    DIKSHA – A BENÇÃO DA UNIDADE

    * Aproveito sua pergunta para dizer a você e a outr(a)o que me leiam que estamos vendo sobre como semanalmente, via BemZen, transmitir a Diksha a quem estiver concetado naquele dia e hora. Aguarde! É uma energia muito bonita e muito efetiva na ampliação da consciência.

  3. leonilse says:

    Agradeço imenso a vossa disposição de iniciar “processos” virtuais.
    Se compreendi bem, devo, nos próximos dias, ficar mais atenta a comportamentos e observar, com atenção, se tais comportamentos se encontram no HD ou se foram copiados em arquivo de fácil acesso e sujeito ao botão “delete”. Claro que podemos “delete” tudo o que quizermos, inclusive se o que desejamos deletar se encontrrar no HD, mas acredito que, neste caso, o “delete”será mais “hard”. Não concorda?

    Quando você diz anotar, se refere à grafia escrita ou a observação mental????????????
    Descupe se faço tantas perguntas, mas isto tudo é novo para mim e preciso entender direito o processo.

    Perceba bem, estou com uma forte gripe e sinto-me fragilizada fisicamente. Devo aguardar para que o ciclo gripal se complete e volte ao meu estado normal ou coloco o estado gripal de lado, como se fosse uma cortininha ilustrada com pequenos de vírus, e mando bala na observação?
    Ou faço da maneira que a cosciência determinar?????

    Quanto à Benção da Unidade, acho muito boa a idéia e boto fé que a energia circula. É só me dizer quando, como, e a hora. A razão a gente já sabe…

  4. leonilse says:

    Namastê, Bhaskar !

    Agradeço imenso a vossa disposição de iniciar “processos” virtuais.
    Se compreendi bem, devo, nos próximos dias, ficar mais atenta a comportamentos e observar, com atenção, se tais comportamentos se encontram no HD ou se foram copiados em arquivo de fácil acesso e sujeito ao botão “delete”. Claro que podemos “delete” tudo o que quizermos, inclusive se o que desejamos deletar se encontrrar no HD, mas acredito que, neste caso, o “delete”será mais “hard”. Não concorda?

    Quando você diz anotar, se refere à grafia escrita ou a observação mental????????????
    Descupe se faço tantas perguntas, mas isto tudo é novo para mim e preciso entender direito o processo.

    Perceba bem, estou com uma forte gripe e sinto-me fragilizada fisicamente. Devo aguardar para que o ciclo gripal se complete e volte ao meu estado normal ou coloco o estado gripal de lado, como se fosse uma cortininha ilustrada com pequenos de vírus, e mando bala na observação?
    Ou faço da maneira que a cosciência determinar?????

  5. Bhaskar says:

    Namaste, Leonilse !

    a coisa toda é:

    observa…
    observa…
    pensamentos, emoções, estados de ânimos, diálogos internos… só observa!

    não deleta nada… não se apega a nada…
    não gosta de nada… não se identifica com nada…
    não desgosta de nada….. não odeia nada…. não diz basta pra nada…não queira melhorar nada…

    só observa…observa…
    observa tudo isso acontecendo…

    não analisa “como” estão acontecendo e “por que” estão acontecendo o pensar, o sentir…
    nem julga “o conteúdo” do pensar ou do sentir…

    uma dica: não dê nomes (alegria, ansiedade, angustia, medo…)…não dê nome…

    apenas testemunhe o que estiver ocorrendo: assim como um espelho, que reflete o que passa em sua frente sem julgar aquilo que passa…

    só observa… “senta num lugar dentro de si mesma” onde haja apenas “observação”…e deixa que a observação aconteça….

    * E sim, papel e caneta, se sentir vontade de anotar algo que depois vc queira lembrar
    seja para compartir ou para re-visitar sua experiência. Mas não se prenda á idéia de que vc tem que anotar coisas; você não tem…

    * * Ah, quem será que passará primeiro? A gripe, ou as emoções e pensamentos que na hora em que surgem tem jeito de ser tão importantes? Me conta depois!

    Shanti Shanti Shanti

  6. iara Lammerhirt says:

    Namastê! Estou feliz por ter encontrado esse espaço…tenho praticado o máximo que posso a integridade interior, a observação me esforçado pra não julgar, não gostar/desgostar, enfim, mas sinto-me muito instável. Tem momentos que me sinto submergir nos programas que ditaram minha vida até agora, esses programas d conflito, não de alinhamento com a Unidade: progrmas de medo, compulsão,raiva,limitação, autocomiseração!julgamento…culpa…

    por favor, esta é uma experiência comum? Ou estou me apegando ? sinto como se estivesse a um passo da realização da UNIDADE …mas caio e caio de novo nos padrões de conflito!!!! poderias me dar uma orientação???

    Shanti! Shanti!

  7. Bhaskar says:

    Excelente, Iara !

    Esta “instabilidade” ao qual vc se refere é uma porta de entrada importante para você compreender/perceber mais e mais sobre sua jornada.

    Assim é para todos, ou para todos que chegam até este ponto, pois é um importante ponto, uma certa encruzilhada!

    Sua mensagem me assegura de que você já percebeu que a luz da observação vai criando mais e mais espaço de desidentificação entre o seu Eu Real e todos os hábitos, apegos, condicionamentos e padrões aos quais vc se refere!

    Seu esforço em manter-se atenta, observadora (cair no velho programa, recuperar o espaço de observação, cair de novo, voltar…) é uma disciplina essencial para quem quer re-habituar todo seu Ser. Excelente! Em tibetano, a palavra usada para meditação significa “familiarização”…ou seja, é preciso familiarizar o Ser a uma outra sintonia, a um novo software. Mas, sim, os velhos hábitos são vícios fortes, couraças, padrões muito enraizados. Teimarão em querer recuperar seu status. E status aqui significa: sua identificação com eles.

    Mas você já sabe que a DESIDENTIFICAÇÃO é a chave.
    Por isso, acho que pode ser bom compreender neste momemnto a equação que soma “Esforço Adequado” + “Intenção Adequada”:

    A persistência, que você tem, é um aspecto importante do que se pode considerar “ESFORÇO ADEQUADO”. Muito bem: observar, observar, acolher o sentimento, vê-lo ocorrendo em você, não julgá-lo, não culpar ninguém, não justificá-lo (“…também pudera esta raiva, fulana me fez mesmo muito mal dizendo tal coisa…”). Então, OK, disciplina e esforço para resgatar sempre o OBSERVADOR, o espaço de TESTEMUNHA de toda a dinâmica dos velhos hábitos e reações de dor, sofrimento, julgamento, separação e mesmo de felicidade (sim, esta também advém de dinâmicas viciadas).

    A segunda parte da equação é algo que irá catalizar os efeitos de sua disciplina: investigar (estar atenta) a INTENÇÃO por trás dos seus esforços. Obviamente a intenção adequada não é aquela motivada por ser maior, superior, por chegar onde poucos chegam… Mas também não é aquela baseada em um “resultado”.

    Seu esforço de re-conexão permanente não pode estar voltado para a idéia de alcançar um resultado, porque todo resultado é igual a “algo no futuro” (“um dia irei colher os frutos e me estabilizar aqui”, “estou quase chegando lá”). Assim você perderá o ponto, porque não há futuro (“um dia”).

    É normal (comum) este sentimento, e ele não deixa de ser um estímulo para juntar mais coragem e persistência na jornada… Parece que a gente já sente o aroma das rosas mas ainda não dobrou a esquina de onde é possível entrar nos jardins…

    Mas agora, amiga, é hora de desapegar-se também da idéia de “resultado” e por isso eu lhe convido à INTENÇÃO ADEQUADA.

    Experimente familiarizar-se com o fato de que todo este movimento (conectar-se a um estado, depois a outro, cair, subir, dor, prazer, êxtase, vazio, irritação…) está ocorrendo no AGORA. Quando este movimento está ocorrendo, este é seu AGORA! Não é que você visitou o agora, saiu do agora e está resgatando o agora…Tudo isso somente ocorre AGORA!

    A “instabilidade” e o desejo de “estabilidade” também são pensamentos, conceitos e idéias… são o julgamento que você faz do agora.

    Ou seja, de novo: não lute com esta sensação de instabilidade e a frustração que a acompanha… Observa! Observa as dinâmicas, os programas como vc mesma diz, aqueles que trazem compulsão, raiva, limitação, autocomiseração, julgamento, culpa, medo…e também esta frustração, ansiedade pela “estabilização”. Vem todos da mesma fonte! Não julga, observa!

    A INTENÇÃO ADEQUADA deve ser, portanto, estar no AGORA e não fazer algo agora para colher os frutos num futuro qualquer. Assentar-se no AGORA é uma descoberta, não é uma conquista. E estar no agora significa ACEITAÇÃO incondicional de todos estes movimentos, incluindo as recaídas no sonambulismo. TESTEMUNHA…não escolhe o que é agora!

    Por isso o ESFORÇO ADEQUADO é atenção ao espaço de OBSERVAÇÃO e a INTENÇÃO ADEQUADA é perceber o valor intrínseco da DESIDENTIFICAÇÃO, do AGORA… Isso não vai te levar a algum lugar…este é o lugar! Aqui acontece a vida em liberdade e alegria!

    No estado de OBSERVAÇÃO DESIDENTIFICADA (Presença) até mesmo pensar em termos de aceitação é uma inverdade: porque este é em si o espaço de Presença, de Unidade, no qual não acabe aceitar ou não-aceitar. É CONSCIÊNCIA SEM ESCOLHA (é Não-Eu).

    A você e a toda(s) os que me leem neste momento, peço um minuto de olhos fechados, para que recebam a Benção da Unidade (Diksha). É que nossa equação – aquela que aprendemos com Sri Amma Bhagavan – tem este terceiro elemento:

    INTENÇÃO + ESFORÇO + GRAÇA DIVINA = CRESCIMENTO.

    Sendo assim, por um minutinho, de olhos fechados, receba esta benção, com a intenção de que todas estas palavras façam-se carne e habitem em seu coração e eentre nós, para que você, Iara, e todos possamos voltar para a casa, para o Ser Verdadeiro que é pura consciência, pura Presença.

    Shanti Shanti Shanti

    Bhaskar

  8. iara Lammerhirt says:

    Namastê!

    Obrigada, muito obrigada! suas palavras são muito valiosas…

    Shanti Shanti Shanti

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>