1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes

Obesidade Infantil: Como os pais devem lidar sem restringir?

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Nutricionista e autora do livro O Peso das Dietas acredita que dietas radicais são prejudiciais e fazem as crianças engordarem mais

Para Sophie Deram, nutricionista com doutorado no departamento de endocrinologia pela Faculdade de Medicina da USP e pesquisadora na área de obesidade infantil, a maioria dos programas de “combate” à obesidade infantil incentiva as crianças a “fechar a boca e malhar”, ou seja, é a responsabilidade da criança reduzir o que ela come e aumentar exercício físico com a ajuda dos adultos ao seu redor.

 

A noção de “combate” pressupõe que a criança obesa de alguma maneira tem uma responsabilidade na situação na qual se encontra. Existe uma estigmatização da criança obesa como sendo preguiçosa e sem nenhuma força de vontade ou disciplina.

 

Isso prejudica muito essas crianças que, na realidade, estão presas num corpo que se adaptou ao meio ambiente no qual vivem, sem saber o que fazer para mudar a situação. Isso pode até levá-las a sofrer bullying.

 

Fechar a boca e malhar não funciona

 

É claro que um mínimo de exercício físico é saudável, mas fazer dieta restritiva (fechar a boca) desregula o cérebro, aumenta o apetite, a obsessão por comer e o comer emocional. Também reduz o metabolismo. O cérebro, percebendo uma falta de comida, começa a “economizar”. Esses efeitos são ainda mais fortes em crianças que estão em desenvolvimento. Em vez de ajudar a criança com restrições, se estressa o cérebro dela, levando à tristeza, depressão ou mesmo comer escondido, uma das causas da obesidade infantil.

 

O comer escondido não é uma escolha dela, dá muita vergonha e isso é o começo de uma vida de compulsão e relação estragada com a comida, algo difícil de reverter. Então, basicamente, fazendo dieta a criança entra no caminho de engordar e/ou de desenvolver um transtorno alimentar.

 

Estudos mostram que adolescentes que fazem dietas aumentam em duas ou três vezes o risco de se tornar obesas quando comparados a outros que não fizeram restrições. Um estudo mostrou que dietas severas (diminuindo calorias ou pulando refeições) aumentam em 18 vezes o risco de desenvolver transtornos alimentares em adolescentes. Na população geral, 95% dos que fazem dieta voltam a engordar em um prazo de 2 anos, muitas vezes para um peso maior ainda. Dos 5% que não engordam, mais do que a metade (3%) têm um transtorno alimentar. Ou seja, é normal fracassar na dieta!

 

A obesidade infantil é evitável

 

Apenas alguns casos são geneticamente inevitáveis. A Organização Mundial da Saúde (OMS) é clara sobre isso: a obesidade é evitável, mas é difícil de tratar. Quando se estuda a genética da obesidade se vê que há mais do que 500 fatores genéticos associados à obesidade. Quem puxa o gatilho é o estilo de vida e também o estresse psicológico, medicamentos, desregulamento de hormônios, falta de sono e muito mais. Não é só comer demais e ser preguiçoso!

 

Tentativas de tratamento com dietas, remédios e cirurgia, não têm dado resultados satisfatórios e têm muitos efeitos secundários. O corpo volta a engordar na maioria das vezes. Por que? Porque a obesidade é uma adaptação do corpo ao seu meio ambiente e quanto mais se agride o corpo, mais ele reage engordando!

 

Hoje está cada vez mais claro e comprovado que se deve enfatizar uma abordagem chamada “mindful eating” ou alimentação consciente. É uma forma compassiva e holística para se conseguir uma alimentação saudável. É preciso respeitar a fome e prestar atenção à saciedade, conexões emocionais com a comida e os relacionamentos envolvidos em comer.

 

Sobre a autora:

 

Sophie Deram é nutricionista francesa e brasileira naturalizada, com doutorado em pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) no departamento da Endocrinologia.

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias

Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário

Bemzen Shop



© bemzen. Todos os direitos reservados.

Webroom Soluções Interativas