1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes

Horóscopo das Gestantes, veja: As fases Astrais do Bebê

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Dinâmicas astrológicas da gravidez

 

por Titi Vidal

 

A vida começa bem antes do nascimento. Já na gravidez, o bebê é um ser humano que recebe influencias da mãe e do ambiente externo e guarda memórias que podem acompanha-lo durante toda a vida. Especialistas indicam que o bebê já aprende dentro do útero e que ele já recebe estímulos que são fundamentais ao seu desenvolvimento. Para o astrólogo A.T.Mann, “todas as influencias registradas durante a gestação são armazenadas dentro do corpo, sob forma física ou como predisposição para certos padrões de comportamento físico, como movimento ou como instintos básicos”.

 A.T.Mann nos apresenta um modelo que indica que cada fase da gravidez fica registrada em nosso mapa astrológico após o nascimento, cada etapa em uma determinada parte do mapa. Assim, a concepção pode ser localizada na casa 8, mostando o quanto as condições da concepção influenciarão assuntos e áreas bem importantes da nossa vida e fazendo com que o início da gestação esteja registrado na cúspide da casa 9 do bebê. Na casa 9, aliás, podemos identificar o que foi vivenciado até a 7a semana da gestação.

 

 Essa fase inicial da gravidez é também a mais delicada. Esses riscos podem ser avaliados conforme progressões e trânsitos da mãe e depois ficarão registrados na casa 9 do bebê. Nessa fase muitos dos órgãos já se formam e o coração já começa a bater sozinho.  A casa 10 do bebê irá registrar o que foi vivenciado entre as semanas 7 e 12 da gravidez, quando analogamente se forma o sistema ósseo, tão relacionado ao signo de capricórnio.  Na semana 10 embrião se torna feto, “materializando” esse ser humano que está em formação. A casa 11 irá registrar as vivencias e influencias vividas entre as semanas 12 e 23. Este costuma ser o período mais tranquilo da gestação e é justamente o momento no qual os pais costumam fazer os planos para o futuro do bebê e da família.

 

 É curioso pensar que faremos nossos planos para o futuro de acordo com as expectativas que nossos pais tiveram antes do nosso nascimento. Nessa fase o bebê já recebe mais estímulos e interage com a mãe e outras influencias externas. Outra curiosidade é o fato da formação do sistema nervoso do bebê, tão relacionado ao signo de aquário, se dar nessa fase. Se o bebê nasce a partir de 23 semanas, já é possível que sobreviva. Da 24a semana até o nascimento, que em geral acontece em torno da semana 40, os registros ficarão na casa 12. Nesse momento se forma o sistema linfático e o bebê já reconhece sons e movimentos externos. Já tem desenvolvidos sentidos como o paladar e o olfato e recebe muito bem os estímulos da mãe. Reconhece a voz da mãe, do pai e de outras pessoas e escuta as músicas. 

 

Estudos mostram que músicas ouvidas pela mãe nessa fase são facilmente reconhecidas pelo bebê após o nascimento, uma boa referencia à casa 12 e o signo de peixes. Acontecimentos marcantes vividos pela mãe nessa fase ficarão registrados na casa 12 do bebê e podem ter forte impacto por toda sua vida. Além desse registro na casa 12, sabemos que as progressões pré natais indicam o que foi vivido nos dias e meses anteriores ao nascimento, numa proporção de 1 dia equivalente a um ano. Ou seja, os últimos três meses de gestação, de alguma maneira, marcam, em algum nível, 90 anos de nossa vida. Acompanhar a mãe durante a gravidez, num pré – natal astrológico, pode ajuda-la a viver de forma mais consciente e positiva cada uma das etapas vividas.

 

 Além disso, o astrólogo pode oferecer recursos frente a desafios e formas de lidar que protejam o bebê de influencias mais traumáticas. Quando o bebê nasce, ele já viveu uma grande quantidade de experiências positivas ou negativas e já traz esses registros em sua memória. O momento do parto é extremamente importante e sabemos disso porque ficará registrado no nosso ascendente. Isto é, o ascendente mostra, entre várias outras coisas, as condições do parto. Se tivemos dificuldade ou facilidade para nascer, o que aconteceu, como foi, fica tudo registrado no ascendente, que depende do momento exato do nascimento. E se o ascendente é parte integrante da personalidade, fala sobre visão de mundo, comportamento, atitude e corpo físico, entre tantas outras coisas, temos aí a indicação de que o parto ficará registrado e afetará diretamente nossa personalidade e vida. Além disso, é no momento do parto que se calcula o mapa astrológico, que contém todo registro de vida: inclui o passado, já que além da gravidez mostra pais e antepassados. 

 

Inclui o futuro, já que ali estão todos nossos potenciais e possibilidades de vida. Após o nascimento, hoje em dia se trabalha com a hipótese de uma exterogestação, ou seja, três meses fora da barriga que seriam complementares à gravidez, período no qual o bebê precisa de mais atenção e cuidados, mais colo e prontidão em ser atendido. De acordo com as progressões secundárias diretas, sabemos que também na proporção 1 dia para um ano, os três primeiros meses de vida deixarão o registro do que viveremos, em algum nível, em 90 anos de vida. Ou seja, acompanhar mães durante a gravidez e mães, bebês e famílias após o nascimento pode ser de grande valia para toda família. Ou seja, a astrologia também pode ser utilizada no pré natal, no parto e no pós parto, cada fase com suas especificidades.

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias

Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário

© bemzen. Todos os direitos reservados.

Webroom Soluções Interativas