1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes

SAÚDE:: Rim, o grande gerador de energia do nosso corpo

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Assim como o fígado é o responsável pela circulação da nossa energia, o rim é responsável, em grande parte por nossas características físicas. Como já foi dito, temos dois tipos de energia, uma adquirida, pela alimentação e pela respiração, e outra inata ou ancestral, que não é renovável e está armazenada nos rins.

O rim, ao contrário do fígado, não sofre com as nossas emoções. Ele tem, porém, emoções que estão a ele associadas, tais como o medo, a insegurança, a timidez, o autoritarismo. Se estas emoções forem prolongadas por muito tempo, ou muito intensas, podem levar a alterações da energia do rim.

A nossa vitalidade de modo geral depende do quanto é forte a energia do rim, e todo o processo de envelhecimento é comandado basicamente pelos rins; assim sendo, para se ter um processo de envelhecimento de boa qualidade devemos cuidar para que o desgaste da energia do rim seja lento e gradual. A energia do rim amadurece por volta de 7 a 8 anos de idade, por isso, até esta idade, é possível que a criança ainda não tenha o controle da urina. No plano emocional ainda persistem os medos infantis. A partir daí a energia do rim vai chegar à sua plenitude por volta dos 35 a 40 anos, quando se inicia o processo de envelhecimento. De forma geral, podemos dizer que se uma pessoa aparenta menos idade do que tem, está com a energia do rim em bom estado, se for o contrário pode significar duas coisas: ou tem energia ancestral insuficiente ou gastou muito a energia do rim. Em resumo, o rim é responsável por toda a nossa estrutura física e sua conservação.

O rim rege energeticamente várias estruturas, a saber, os ossos, a medula óssea, as articulações pequenas das mãos e dos pés, os tornozelos, os ombros junto com o fígado, o ouvido interno e a audição, os cabelos, as supra-renais, os orifícios inferiores (uretra e ânus) e a estrutura física do cérebro.

Sabendo destas correlações, podemos compreender o porquê de algumas doenças estarem associadas à energia do rim. Praticamente, todas as doenças dos ossos estão de certa forma associadas com a diminuição da energia do rim. Normalmente se instalam junto com o processo de envelhecimento. É o grupo das artroses, das artrites, das osteoporoses, e que normalmente vêm acompanhadas de outras doenças, em função do desgaste da energia dos outros órgãos, e aí teremos associados as hipertensões, os diabetes entre outras.

O cabelo também é uma estrutura gerada pelo rim, e pela sua observação podemos avaliar como está energeticamente o rim da pessoa. A queda ou branqueamento precoce é um sinal de desgaste acentuado da energia que pode ser tratado, desde que seja no início do processo. O mesmo vale para as quedas periódicas que ocorrem em algumas pessoas, principalmente as mulheres, como no pós-parto. Estas quedas também coincidem com momentos de maior desgaste físico e ou emocional e também devem ser tratados para prevenir um quadro irreversível.

Outra função que também é regida pelo rim é a audição, juntamente com o ouvido médio. Temos duas patologias que são comuns: as otites e as hipoacusias. As otites ocorrem mais em crianças e são mais devidas a uma imaturidade energética do rim associada a fatores externos como vento frio e umidade, e por isso são mais comuns em crianças e tendem a desaparecer a partir dos 7-8 anos de idade, quando o rim atinge sua maturidade energética. A hipoacusia, que é a diminuição da audição, costuma ocorrer nas pessoas de mais idade e tem sua origem na diminuição fisiológica da energia do rim. Portanto, a surdez do idoso não dá para ser tratada só pela medicina natural, precisando dos recursos tecnológicos da medicina convencional.

A energia do rim, juntamente com a do fígado, rege o processo de gestação, do momento que vai da fecundação até a nidação na parede uterina, daí para frente entra também o baço-pâncreas. De forma geral, pode-se dizer que as esterilidades e infertilidades estão basicamente associadas à função energética destes três órgãos. Assim como a impotência e a frigidez, do ponto de vista energético, também estão ligadas ao fígado e rim.

A víscera acoplada ao rim é a bexiga e, diferentemente da vesícula biliar, não possui particularidades quanto aos aspectos emocionais, seguindo as mesmas características do rim, como medo e insegurança.

Assim como as emoções provocam o desgaste da energia do fígado, o excesso de trabalho provoca a diminuição da energia do rim. A primeira coisa, então, a fazermos para equilibrar o rim é arranjar um pouco mais de tempo para descansar, não fazer nada. Assim, você poderá ter um rendimento maior no seu trabalho. Outra coisa é fugir do frio e das coisas frias, dos gelados, porque eles lesam o rim, mas, de vez em quando, você pode e deve tomar ou comer algo gelado. Outro sinal de alerta é o desejo exagerado de sal ou comidas salgadas. Vale a regra, o pouco tonifica, o excesso lesa. E, por fim, já antecipando um pouco, se o rim estiver fraco devemos comer muitas raízes, de preferência cozidas, ou em sopas, que é melhor ainda.

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias

Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário

Bemzen Shop



© bemzen. Todos os direitos reservados.

Webroom Soluções Interativas