1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Quelóides: Saiba como evitar e tratar as cicatrizes

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Cicatrizes são uma incógnita e podem incomodar quando se tornam inestéticas. O problema se torna maior quando ocorre uma hipertrofia da cicatriz com formação de nódulos ou quelóide, que é um processo normal de cicatrização, mas que não para, resultando num nódulo grosso com dor e coceira no local. A cicatriz exagerada pode ser tratada através de procedimentos estéticos específicos ou prevenida com placas de silicone, fitas de corticóide e técnicas cirúrgicas menos invasivas.

Segundo o cirurgião plástico Marcelo Assis, especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, esse tipo de cicatriz costuma ser um terror para alguns pacientes submetidos a procedimentos cirúrgicos como a cirurgia plástica. “Algumas pessoas tem predisposição genética para formar quelóides como peles negras e asiáticas. Mas isso não é regra. Peles brancas também formam esse tipo de cicatriz”, informa o especialista.

Segundo ele, existem três tipos de tratamentos para o quelóide:

1) Infiltração com corticóide: melhora de imediato os sintomas de coceira e dor. É realizada uma infiltração a cada três semanas até o nivelamento da cicatriz com a pele ao redor. Esse tipo de tratamento tem uma recidiva (retorno) do quelóide em torno de 70%;
2) Exérese (retirada) parcial do quelóide com infiltração de corticóide: excelente tratamento com custo baixo. A cicatriz é retirada parcialmente deixando em torno de 10% para “enganar” o quelóide;
3) Exérese total com betaterapia: técnica mais eficiente, mas com custo muito alto. É feita a retirada total da cicatriz e no mesmo dia é realizada uma sessão de betaterapia que são emissões de radioterapia local para conter o processo de cicatrização exagerada do quelóide. A taxa de recidiva desta técnica é de 10%.

O cirurgião destaca que alguns tipos de cicatrizes podem ser confundidas com quelóides como a cicatriz hipertrófica que tende a regredir num período de 18 meses e a cicatriz alargada, que ocorre quando a tensão sobre o corte é muito grande e alarga a cicatriz.

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • #1 Nelson Silva
    09/11/2011 22:57

    Gostaria de saber se a cicatrz, queloide pode tomar grandes proporçoes levando a aparencia de uma cicatriz de queimadura,e se é possivel retarda-la e parar o seu processo de cressimento. Desde ja o meu muito obrigado.

  • #2 adriana pereira
    07/09/2013 12:22

    estou sofrendo pois meu filho tem apena 11 anos e ja passou por tres cirurgias e a queloide volta a ca um ano em meio,o que faço por favor

Deixe seu comentário