1. Áries
  2. Touro
  3. Gêmeos
  4. Câncer
  5. Leão
  6. Virgem
  7. Libra
  8. Escorpião
  9. Sagitário
  10. Capricórnio
  11. Aquário
  12. Peixes


Mente tranquila: A Ciência da Meditação: 11 passos para o equilíbrio

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

A mente está intimamente ligada ao corpo. A tendência natural da mente é ser dispersa, vagar de um pensamento a outro. O resultado é o desperdício da sutil energia nervosa. A mente tranqüila, calma, conserva essa energia , que pode ser direcionada para o sucesso merecido em qualquer aspecto da vida, como progresso profissional, saúde psicomática, crescimento espiritual e auto-realização.
A pergunta que surge é como é que se pode acalmar e tranqüilizar a mente? Muito trabalho de pesquisa tem sido feito para se encontrar a resposta. Eis algumas das conclusões importantes:

1.O homem pensa e sabe que pensa. Esse conhecimento o capacita a gerar os pensamentos que deseja.
2.Pensamentos indesejados não podem ser suprimidos. Se os suprimidos, eles penetram nos níveis subconscientes e inconscientes e vêm à tona em momentos inoportunos.
3.A geração dos pensamentos desejados pode superar os pensamentos indesejados e reduzir a sua ocorência sem suprimi-los.
4.Os pensamentos podem ser focalizados em algo - uma imagem, um símbolo, uma idéia etc., de forma que a mente pode ser direcionada e concentrada.

Há milhares de anos, os Yoguis (dedicados cientistas do mundo interior e da psicologia profunda) intuitivamente chegaram a essas conclusões anteriormente mencionadas. A validade dessas descobertas é apoiada pelas pesquisas na moderna psicologia. No entanto, eles foram mais além e desenvolveram técnicas práticas para direcionar a mente, forneceram orientação para o estudo da topologia interior e para experimentar os vários níveis consciência. Aí desemvolveu-se por inteiro a ciência da meditação. Esse método científico por trás da investigação Yoguin lembra o cientista físico, por exemplo, o físico nuclear, que penetra nos mistérios do átomo com suas teorias elaboradas e equipamentos sofisticados.
Em Yoga Tantra são usados símbolos específicos (mandalas) e sons (mantras) para concentrar os vários centros de energia ou estados de consciências (chakras) e para regular o fluxo de energia sutil (prana) pelos canais de sutil (nadis). O conceito de ch'i, acupontos e meridianos é semelhante ao de prana, chakras e nadis em Yoga Tantra.
Seguindo o Yoga de Patanjali (que sistematizou e sintetizou a ciência do Yoga em 195 aforismos há cerca de 2200 anos), podemos nos concentrar numa imagem (por exemplo, a imagem de uma divindade, Cristo, Buda, Krishna etc.), rezar a Deus (Alah, Brahman etc.), centralizar a atenção em idéias profundas (como a consciência cósmica, irmandade universal etc.), visualizar mentalmente fenômenos naturais (luar brilhante, maontanhas nevadas, quedas d'água etc.), concentrar-nos em pensamentos profundos (eu sou uma alma e não o corpo, minha essência é paz etc.).
O método de meditação Sahaj (simplificado) Raja Yoga desenvolvido pela Associação Brahma Kumaris (entidade não-religiosa, não-política, filiada às Nações Unidas como uma organização não-governamental) deriva-se em grande parte do Yoga de Patanjali. Principais aspectos da meditação Sahaj Raja Yoga:

1. A alma representa efeito coletivo de pensamento, sentimento, intelecto (conhecimento e julgamento) e personalidade.
2. A alma é uma forma não material de energia. O corpo é seu veículo.
3. A verdadeira natureza da alma é pacífica, forte, calma e tranqüila.
4. A afirmação "eu me tornei calmo" implica consciência corporal, enquanto ao dizermos interiormente "eu sou um ser pacífico" enfatiza consciência espiritual.
5. Conhecer a alma é uma ciência espiritual. É uma ciência porque é algo que pode ser pesquisado, descoberto, julgado, experimentado e vivenciado. Descobrir e entender a mim mesmo é realmente um experimento científico.
6. Eu sou responsável por meus pensamentos e por meus sentimentos, por minhas experiências e ações.
7. Pensamentos criam emoções e desejos. O intelecto os julga, dirige tudo e forma nossas decisões. A decisão conduz para uma ação.
As ações deixam gravados traços na alma. Esses traços memoriais são impressões que quando acumuladas se manifestam sob a forma de tendências ou hábitos. Essas tendências determinam nosso caráter e formam nosso padrão de pensamentos. Então o ciclo fechado é: pensamentos - emoções - ações - memórias - tendências - caráter - pensamentos.
8. Um pensamento é uma vibração mental. Essa vibração mental pode ser de energia alta (freqüencia) com efeito positivo ou de energia baixa com efeito negativo.
9. Vibrações mentais altas criam sentimentos positivos de paz, amor, força interior e contentamento, enquanto as vibrações mentais baixas geram sentimentos negativos de agressão, irritação, desassossego e nervosismo.
10. Vibrações de alta energia sobrepujam as baixas - é uma importante lei da Física. Portanto, os sentimentos positivos de paz e amor dominam os sentimentos negativos de agressão e ódio.
11. Cada um de nós é parte da consciência coletiva universal. Isso significa que se eu quero mudar algo no meu pequeno mundo ou na sociedade, eu devo mudar algo dentro de mim. Então, se eu quero paz no mundo, na minha família, ou na minha profissão, a melhor e mais eficaz contribuição seria primeiro atingir harmonia interior e paz dentro de mim.


As adaptações modernas da técnica da meditação, como meditação transcendental, métodos de pensamento positivo e suas variações para o controle da mente ajudam a acalmar a mente, inibir o estresse e melhorar a concentração.
O método do Raja Yoga semeia as sementes do conhecimento de nossa natureza real, que lenta mas certamente estimula a regeneração espiritual e estados elevados de consciência.
Realmente, no moderno mundo científico-tecnológico de hoje, caracterizado pelos estressantes modos de vida, precisamos de ambos os métodos - pensamento positivo e qualidades positivas essenciais. Esses são complementares e sua ação combinada irá não somente nos preparar para encarar as situações calmamente, mas transformar nossa atitude em relação a essas situações. Então nós gozaremos saúde psicossomática, regeneraremos nossa espiritualidade, expandiremos nossa visão e elevaremos nosso nível de consciência.


*Harbans Lal Arora, Ph.D. em Física Teórica, formado pela Universidade de Waterloo, Canadá. Professor titular do Departamento de Química Analítica e Físico-Química, e do Núcleo de Processos Energéticos e Industriais da Universidade Federal do Ceará.

  • Envie este link a um amigo
  • Compartilhe em: Compartilhe no Twitter Compartilhe no Facebook Compartilhe no Orkut

Outras Notícias



Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar.

Deixe seu comentário